Visitas

sábado, dezembro 22, 2007

O meu post de Dezembro

É um tempo de mudanças neste blog.
Não falo do fim de ano que se aproxima: o Coisas que Tal anda mesmo com a casa às costas.
(Anette em Mafra e Gui em Sintra)
É um tempo de acartar móveis, pôr água nos canos e luz nos tectos, comprar electrodomésticos, de decidir o que pôr onde e como…
E também um tempo de maior ausência destas páginas mas com vontade de voltar.
A todos um Bom Nataa-al !!
Que em 2008 saibam sempre o que pôr onde e como…

sexta-feira, novembro 23, 2007

E pronto...

...vou ali casar e já venho.

sexta-feira, novembro 09, 2007

Que fazer?

O que é se faz, o que é que se diz ou para onde é que se olha, quando o tique do colega do lado é pôr-se a olhar para a janela com ar aluado enquanto tira macacos do nariz? Dias e dias nisto. Irra!

Bom fim-de-semana. Ouvi dizer que a Zambujeira vai estar cheia de gajos grossos.

quarta-feira, novembro 07, 2007

Tiraram-me as medidas

Segunda opção de título: “Falta-me um bocadinho assim”.

Na verdade, e como vos contei ontem, fui à minha costureirinha tirar medidas para que ela inicie esse trabalho lindo que vai ser o meu vestidito de noiva.

Confesso que esta coisa das medidas para mim é nova. Tenho a mania das dietas? Sim. Gostava de ser mais magra? Sim. Mas o único controlo que faço é pesar-me. Ponho-me em cima da balança e já está. Não me lembro de antes ter pegado numa fita métrica para me medir.
Pois isto tudo para vos dizer que de top model só tenho a anca. (Desilusão, não é?) 86 centímetros, sem tirar nem pôr. Quanto ao resto... bom, quanto ao resto, atrevo-me e assumo aqui publicamente que há muito trabalhinho pela frente. Estão recordados da fórmula típica de uma top model de sucesso, não é? Os míticos 86-60-86. Pois que aqui com a gordinha é mais 102-76-86. E que bem que fica dizer 102 em vez de um metro e dois de peito (!!) e, vá, a cintura (se é que se pode chamar a isto cintura) é de 76 centímetros, mas assim com a fita métrica bem apertadinha. Dá que pensar, não dá?

Pior, pior é estar sempre a ouvir os nutricionistas dizerem-me que com exercício isto vai. E eu triste, a responder deste lado, que não posso transpirar, que o meu suor é tóxico e que vou passar o resto da vida sem gotejar... e com uma barriga ENORME, daquelas que superam em muito a volta de um metro e meio que a fita métrica dá. Ó vida cruel.

terça-feira, novembro 06, 2007

Algo vai mal

Quando a coisa mais excitante do dia passa por assistir ao debate na Assembleia entre Sócrates e Santana Lopes algo vai mal não é?

Posso parecer maluquinha, mas estou curiosíssima para ver que tipo de atitude Santana vai adoptar neste regresso à linha da frente. Ui, que vai ser tão bom!

Preparativos (falta menos de um mês): ensaio de penteado e provas do vestido.

quarta-feira, outubro 31, 2007

Muito depressa para dizer que...

... está tudo bem comigo, tirando ter trabalho até ao pescoço, ter coisas extra trabalho para fazer até ao pescoço, não ter tempo até ao pescoço. Bom feriado!

sexta-feira, outubro 26, 2007

Estou loira

Opá, não percebo esta coisa que agora se fala da fusão entre o BCP e o BPI. O que é que isso quer dizer? Por exemplo, a minha tia Ermelinda tem conta no BCP, eu tenho no BPI, com a fusão eu vou ter de dar o meu código a ela, é isso? “Ó tia, empreste-me lá o seu cartão BCP que a máquina comeu-me o meu”, também vamos poder fazer isto? Opá não percebo nada e também não sabem explicar muito bem as coisas. E depois o ministro vem dizer que o Governo não sabia de nada, que não meteu o bedelho, e eu como sou loira acredito porque, como sou loira, já me esqueci que há apenas oito meses atrás o BCP teve essa brilhante e estruturada ideia de lançar uma OPA sobre o BPI. Ai, que a minha cabeça já está cansada...

Nota: Depois do caos que a visita do Putin provocou no trânsito em Lisboa e – imagine-se – em Mafra (sim, o senhor foi lá) os condutores deixaram de se insultar com a expressão “ó seu filho da p*ta!”, para passarem a dizer: “ó seu filho de putin!”

quinta-feira, outubro 25, 2007

Cambada

É inacreditável como se consegue dar a volta às questões para proveito próprio.
Ontem à noite vinha no carro a ouvir a rádio Miramar (sim, eu oiço rádios deprimentes) e vinha um senhor brasileiro da Igreja Universal do Reino de Deus a explicar umas passagens da Bíblia. E prestem bem atenção ao que este senhor dizia em tom empolgado. Que quando Jesus disse “não condenais e não sereis condenados, perdoai e sereis perdoados”, se referia a gestos unicamente espirituais (Pois, pois, que bonito). Mas que quando Jesus disse “dai, e recebereis em dobro de volta”, já falava em termos materiais (é preciso ter muita lata para se conseguir fazer na boa este tipo de interpretação!) e por isso tinha que se ofertar a Deus. Como? Deixando dinheiro lá no altar. (Dah!)
Este senhor terminava a sua palestra contando, indignado, que havia fiéis que nem o dízimo pagavam (prisão para essa gente, não?). É ou não é vergonhoso que a liberdade de crença tenha ido parar aqui? É ou não é ainda mais deprimente imaginar que existem pessoas a viverem uma fé que depende da quantidade de dinheiro que dão a estes senhores?
Mas estes gajos pensam que a malta é parva ou quê?

PS: Por falar em coisas parvas, eu e noivo já temos sofá. Nada mau, hã?!

segunda-feira, outubro 22, 2007

Modernices

Um casal sai de carro para jantar com ele ao volante. Pergunta: No regresso quem é que traz o carro?
Resposta: Ainda ele. Segundo o acordado entre ambos, era a noite dela apanhar a bebedeira.

sexta-feira, outubro 19, 2007

Karmas

Sempre vivi com metas. Passo o Verão a pensar nas férias, Novembro a pensar no Natal, Abril a pensar nos meus anos, as semanas a pensar no fim do mês e passo os dias a pensar no fim-de-semana.
Mas quando a sexta-feira chega, desce sempre sobre mim uma angústia tremenda porque tomo consciência de que naqueles dois míseros dias não vou conseguir fazer metade das coisas a que me propus ao longo da semana. Ir ao cinema, jantar com amigos, cabeleireiro, ir às compras... enfim, e outras coisas de carácter ainda mais pessoal cujo interesse público para o blog é duvidoso.
A verdade é que farto-me de fazer planos mentais e de criar expectativas em relação ao sábado e ao domingo que se aproximam e sai tudo furado. Porque as manhãs são mentira, porque acordo já em cima do almoço e fico só com a tarde e noite para desbundar. Porque sou hipocondríaca fico sem poder fazer montes de coisas durante as quatro horas de digestão do almoço (por exemplo, cabeleireiro fica de parte porque ao lavarem-me a cabeça posso morrer) e porque a noite já me cansa, acabo por enfiar-me num sítio escuro qualquer em frente ao dvd. Depois chega então o domingo, esse dia verdadeiramente estúpido que mesmo com sol não convence. O dia em que uma vozinha maléfica a ecoar na cabecita não pára de nos recordar a todo o segundo “amanhã já vais trabalhar, amanhã acordar cedinho é que é bom!”. E fico nisto... ininterruptamente, há 30 anos. Xiça!

terça-feira, outubro 16, 2007

E não é que isto de faltarem apenas 45 dias para casar não nos deixa tempo para coçar?

sexta-feira, outubro 12, 2007

Tique parvo a juntar a um ainda mais parvo que tinha

Olá a todos. Espero que os rapazolas estejam todos muito felizes e contentes e que as gajas tenham perdido três quilos (o mesmo é dizer que estão felizes e contentes).
Regressei do Norte (sim, correu tudo bem) e como já perceberam pelo título apanhei lá um tique. Agora termino todas as frases com a pergunta: “Nunh é?” Tenho uma dificuldade extrema em controlar o ímpeto, mas como diz uma grande amiga minha, antes o “nunh é?” do que o “tás a ber?”
Já não bastava ter a mania de fungar constantemente ao ponto de me perguntarem milhentas vezes se estou constipada ou se dou na branca (não, é mesmo tique), para agora terminar as minhas exposições orais com um ridículo “nunh é?”.
Bom, mas acredito que como veio também vai. Portanto, paciência, nunh é?

Notas:
No Norte come-se muuuuito e bem.
Domino Esposende, Barcelos, Vila Nova de Famalicão, Vila do Conde e Póvoa do Varzim. Se perguntarem por mim, digam que está tudo bem, nhun é?
Ter de levar com o Tino de Rans na discoteca em Santo Tirso versão night é pior do que qualquer um dos tiques que eu tenho.

terça-feira, outubro 09, 2007

sábado, outubro 06, 2007

Refrão modificado pelo namorado

Tenho que virar
A Margarida de pernas p’ró ar
E procurar uma casa
Para namoraaaar

quarta-feira, outubro 03, 2007

Já naquela altura era só rir! …

Estava hoje a arrumar umas coisas que tal quando descobri um caderno velho, quase só folhas por preencher, amarelecidas pelo tempo.
Lá no meio, encontrei surpreendida, as linhas que se seguem, assinadas pela Maggie (o “nome artístico” de então), com data de 22/02/1996:


Já viste, Guida! Compraste este caderno já escrito… se eu fosse a ti ia agora lá trocar. Podes aproveitar e pedir mais uns trocos aos teus pais para comprar uns cadernitos. O que é que achas?

terça-feira, outubro 02, 2007

Pelos caminhos de Portugal

Ontem cheguei eu de 5 dias no Sul, amanhã parte a Ana uma semana para o Norte.

Quase todo o Portugal percorrido no Coisas que tal.

Vou-me embora

É verdade! Amanhã rumo ao Norte do nosso belo país para investigações secretas de alto risco que metem mulheres em chinelos, buços e almofadas sujas com pêlos de cão. Curiosos? Humm... nada mais posso dizer. Entre Esposende, Vila Nova de Famalicão e Póvoa do Varzim vou tentando mandar notícias. Se não vier cá, têm sempre a companhia da Gui. Até para a semana.

sexta-feira, setembro 28, 2007

Desconfio

Desconfio que o pessoal do atendimento à TMN receba ordens para aguentar o cliente bastante tempo em linha.
Senão vejamos. “Olá bom dia, fala fulano tal, em que posso ser útil?” E nós lá começamos por explicar o nosso dramazinho. Do outro lado interrompe então a pergunta obrigatória. “Eu estou a falar com quem?”. “Com Anette”. A partir daí é Dona Anette para cá, Dona Anette para lá e aqui começam as manobras para que a malta fique tempos infindos com o telefone especado na orelha. Porque damos o número de conta e ouvimos do outro lado. “Importa-se de aguentar um pouco em linha enquanto eu verifico a sua conta Dona Anette?”. Volta passado alguns minutos para perguntar se tenho a factura comigo. Digo que sim. “Importa-se que eu verifique se o que está a dizer é verdade?” E continuam nisto, a verificar, a verificar. E nós a não nos importarmos. Até que aos vinte minutos de chamada e já com a música de espera da TMN enfiada na cabeça suplicamos em nome de todos os santos para que a chamada seja desligada porque já estamos esclarecidos e já percebemos tudo. “Dona Anette, vou pedir-lhe que aguarde mais um pouco enquanto eu verifico se, de facto, está realmente esclarecida”. E andam nisto, até nos levarem à loucura. Não é para desconfiar?

Desconfio também da frase que Marques Mendes escolheu para encerrar ontem a campanha para as directas do PSD: “Estou fresco que nem uma alface". Não, não vou fazer qualquer graça sobre esta tirada.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Santanices

Só o nosso Pedro Santana Lopes para abandonar uma entrevista em directo na SIC Notícias por ter sido interrompido pela chegada de José Mourinho a Lisboa. O Santaninha diz que foi uma falta de respeito e toca de abandonar o estúdio. Então mas o que é que aconteceu senhor doutor? É dor de cotovelo pelo brilhantismo que Mourinho conseguiu alcançar ou com essas interrupções já não consegue retomar o seu raciocínio? É certo que a importância ou não dessa interrupção é discutível sob o ponto de vista jornalístico, mas seria preciso uma birrinha tão denunciada? Então o senhor que está há tantos anos na política e que passou metade da sua vida a interromper tudo e todos para argumentar, não consegue respirar fundo, contar até dez e seguir em frente com um sorriso nos lábios? Tsss, tsss.

quarta-feira, setembro 26, 2007

Hoje estou...

... num stress que não tem explicação. Não vou passar estas más energias para vocês. Beijinhos meus grandes queridos, divirtam-se e toca ir comprar o primeiro número da revista Time Out. Um verdadeiro mimo e com tudo, tudinho para fazer em Lisboa. Coisas giras e modernas e assim.

segunda-feira, setembro 24, 2007

Gente de mal com a vida...

Sou por natureza uma pessoa bem humorada. Detesto ambientes frios e quando tenho que relacionar-me com gente de mal com a vida sofro. Sofro bastante porque estas pessoas de que falo não têm, na verdade, razões para tanta indiferença, para tanto mau humor, para tanta má criação. Porque eu acho que é disto tudo que se trata.
No meu local de trabalho, o mau ambiente impera. Há colegas a competir, há conversas em surdina, há silêncios incompreensíveis... Isso aborrece-me tanto que desmotiva o meu acordar, tira-me do sério. À segunda-feira parece pior. As pessoas vão entrando com os seus sobrolhos franzidos, olhos postos no chão e nem sequer um grunhido fazem como cumprimento. Luto contra isso todos os dias, todas as manhãs. Quando chego, abro a porta da redacção, levanto a cabeça, coloco a voz e dou um brilhante "bom dia". Eles levantam as suas trombas dos teclados, ficam desconfortáveis, e fervilham de irritação por dentro ao defrontarem-se com aquela grandessíssima parva que chega sem nuvens negras por cima da cabeça. Os outros não têm de levar com os meus dias maus, com as minhas frustrações, com os meus medos - e se os tenho. Porque é que eu tenho de estar a levar constantemente com os dos outros?
Arreee! Que esta gente aborrece!

sexta-feira, setembro 21, 2007

Equinócio de Outono


Primeiro vem uma brisa que começa a soprar mais forte
e logo se instala diariamente de ventos e bagagens.

As crianças abandonam os baloiços enlameados,
os gelados hibernam nas arcas das esplanadas.

Depois é a noite que invade as ruas com impaciência
a acender os candeeiros mais cedo,

a largar aguaceiros por aqui e acolá,
a lançar casacos para cima dos ombros.

Não tarda nada estão as folhas das árvores a cair,
trazendo o cheiro a castanhas que antecede o natal.

Gentinha!

Não se faz! Acorda-se assim assim depois de uma insónia absolutamente estúpida que me deixou a olhar para o tecto entre as cinco e as seis da manhã. Sai-se de casa alvoraçada para um serviço já em atraso que consiste em andar escondida a subir montes para descobrir uma coisa ultra-secreta (não perder a próxima TV 7 Dias!). O fim-de-semana está à porta, mas a porta ainda tem um caminho de doze horas pela frente e para piorar apanhamos com gente à nossa frente que teima em utilizar orgulhosamente os verbos amandar, assentar e destrocar. Arghhhh! Gentinha!

Bom sábado e bom domingo. Se virem alguém a correr com convites de casamento a voar enquanto se vão descolando todos, sou eu, em mais uma missão preparatória para deixar a vida de solteira.

quinta-feira, setembro 20, 2007

Coisas que aprendi sozinha sobre a vida

As filas de trânsito andam consideravelmente mais depressa quando a estrada é a descer.

quarta-feira, setembro 19, 2007

Abismo...

... o que existe entre a Naval e o AC MIlan.

segunda-feira, setembro 17, 2007

Faltam...

... 74 DIAS para o grande dia do meu casório. O tempo começa a passar muito depressa e ainda tenho convites para entregar, vestido de noiva para fazer, ementa para escolher, bouquet para comprar, gajo do vídeo para contratar, lua-de-mel, casa por acabar, toda ela para mobilar. SOCORRO! Com tantas empresas a emprestar dinheiro, não se arranja por aí um negociozito qualquer em que emprestem mais tempo?

sexta-feira, setembro 14, 2007

Esta noite...

Os Couple Coffee actuam no Music Box, no Cais do Sodré. Estiveram de arrasar na festa do Avante e acedito que esta noite vão voltar a deslumbrar. Um show!

quinta-feira, setembro 13, 2007

Porque sim...

Eu acho que ontem quase toda a gente se reviu naquele soco meio estranho que Scolari tentou enfiar no jogador da Sérvia.

terça-feira, setembro 11, 2007

Como nao saber fazer contas prejudica a minha vida

Fui comprar material à retrosaria para fazer os convites de casamento à mão e comprei tudo a dobrar. Fiz mal as contas e gastei o dobro do dinheiro. Na altura em que apareceu o euro, cheguei a deixar 500 escudos de gorjeta enquanto piscava o olho à empregada a dizer que aquilo era para beber um cafezinho.

PS: Alguém precisa de lantejoulas, fitas de cetim ou rede prateada? É que tenho para dar e vender.

segunda-feira, setembro 10, 2007

Perguntas que ficam para o fim

Como é que se vai chamar o pai da criança?

in, "Melancómico", de Nuno Costa Santos

quarta-feira, setembro 05, 2007

Nao ha direito

Uma pessoa está três semanas sem vir ao trabalho. Deixa canetas giras, dossiês lindos, agrafadores, furadores, um telefone majestoso, umas gavetas de secretária azul petróleo, uma pessoa deixa tudo isto á mão de semear... e o que é que vão roubar? Hum? Chegamos ao trabalho e damos pela falta do quê? De um postal com o George Clooney que estava colado na gaveta. Isto não é normal, pois não? Ainda por cima o homem fartou-se de voar agarrado ao helicóptero durante o Verão inteirinho.

Enfim, já regressei, férias foram maravilhosas e o regresso ocorreu de forma tranquila.

sexta-feira, agosto 10, 2007

Tem mesmo de ser?

Epá, eu tenho mesmo de ir de férias? Não há mesmo nada nada para se fazer?

Bom, então nesse caso muitos beijinhos meus queridos, portem-se muito bem durante as próximas três semanas, se tropeçarem nalguma coisa na areia sou eu a esturricar, comam a carninha toda e deixem a massa, quando for para tirar o shampô fechem os olhinhos para não arder e esse arranhão no joelho não é nada, vá, que eu vou buscar um daqueles pensinhos coloridos com o pato Donald.

Gui, amiga, conto contigo na medida das tuas possibilidades, que acredito, são imeeeensas!

quinta-feira, agosto 09, 2007

Mais uma a Anette

Hoje acordei muuuuito cedo.
É que o carro que segue para férias é o meu e tinha urgentemente de ir mudar-lhe o óleo, uma vez que já passava quase os cinco mil quilómetros do que eles aconselhavam naqueles cartõezinhos inestéticos que se penduram no volante.
Bom, bem cedinho, lá estava eu então na oficina, depois de no dia antes ter implorado ao senhor da recepção que me tratassem do carro hoje porque eu ia de férias e porque precisava mesmo e que me fizesse esse jeitinho, caso contrário eu espalhava em Mafra que ele cheirava mal dos sovacos. E ele, estranhamente, acedeu.
Não demorou muito até o chefe da oficina - o sr. João Oliveira que por ter o mesmo apelido que eu me trata por prima, enfim, a gente quer é o carro arranjado - vir ao meu encontro para me perguntar o que é que tinha acontecido ao carro para eu estar ali. Lá lhe expliquei, envergonhada, que já tinha passado em muito a altura de mudar o óleo, é sempre a mesma coisa, mas o que vale é que o bicho anda.
E agora vou contar esta parte muito depressa para não me sentir mais frustrada no que diz respeito aos assuntos do carro: o óleo só precisa de ser mudado daqui a VINTE MIL quilómetros. Ok, vi mal o papelito e incomodei meio mundo para pôr hoje o carro na oficina e ter boleias para o trabalho e assim.

PS: Pior, pior foi quando o mecânico, sim o "primo", me disse que ia ver os níveis na mesma e me pediu para abrir o capô. Ups! Não há maneira de porem um botão para esse efeito no tabliê? Ia lá adivinhar que aquilo estava tão escondidinho... faz parte de algum jogo, é?

quarta-feira, agosto 08, 2007

Coisas de praia

Gosto de ir para a praia à hora de almoço para arranjar um bom lugar para o carro, visto que a labregagem já foi toda comer a sardinha para voltar à tarde;

Gosto de tirar os chinelos mal pise um pouco de areia. O pior que me pode acontecer é não ter mãos para levá~los e ter de ir ali feita parva areal fora e com dores nos dedos por causa dos grãos a roçar no plástico da chinelada;

Gosto de ficar na primeira linha da areia, ou seja, sem ninguém à minha frente, nem que passe o resto do dia a puxar as coisas mais para cima e mais para cima por causa da maré estar a encher;

Gosto de estender a toalha muito direitinha ao sol e pôr uma kanga na sombra do chapéu, para poder andar a saltitar de um lado para o outro sem ter de mexer uma palha;

Gosto de me despir mesmo antes de espetar o chapéu de sol e vou logo mergulhar mal chego à praia;

Quando me deito ponho metade dos pés em cima da toalha;

Não gosto de andar, jogar raquetes ou de me sentar à beira-mar;

Adoro ir lendo aos bocados sempre que salto para a kanga que está por baixo do chapéu para fumar um cigarrinho;

Termino o dia de praia a comer um gelado, aquele corneto novo, de leite creme, hummm!

Tudo isto e muito mais perto de mim dentro de dois dias!!

terça-feira, agosto 07, 2007

Em banho maria

O meu cérebro deixou de funcionar. Qualquer coisa que faça, em qualquer sítio que esteja, só penso uma coisa: faltam x dias para ir de férias.
Neste caso, faltam três dias para ficar de papo para o ar a fazer... isso, a fazer absolutamente nada! Podem dar-me as notícias mais chatas para fazer que eu faço um sorriso hipnótico e meto-me ao trabalho enquanto penso, daqui a x dias estou de férias. E passo os dias nisto. É claro que aqui o blog não podia ficar indiferente a esta louca contagem decrescente. Estou quase de férias e o meu cérebro parou!

domingo, agosto 05, 2007

Férias Grandes




Lucinda Gravito, pintora de paisagens,praia de Porto Dinheiro. 02 Agosto 2006






Este ano não irei passar para além da ocidental praia lusitana…
Desta vez vou para o Oeste, mas mais acima da praia que aparece na fotografia.
(belíssima esta e outras fotos a conferir aqui)



Depois, a rota é para Norte em direcção à Serra da Freita.
No fim das férias, o corpo mergulhará nas águas quentes do sul, na Formosa praia lusitana.

Boas Fériazzzzzzzzz !

quarta-feira, agosto 01, 2007

Mentira!

Vinha hoje a ouvir a rádio e um senhor dizia que António Costa assumia hoje o cargo de presidente na Câmara Municipal de Lisboa e que ia começar já a pôr em prática os items que tinha prometido em campanha. É mentira!! É mais do que lógico que António Costa passe todo o dia de hoje a escolher a melhor cadeira para ele, um lugar que não fique por baixo do ar condicionado, a mudar a secretária para não estar de costas para a porta, a escolher as canetas mais giras do economato, a pôr molduras suas nas estantes do gabinete, a regar as plantinhas que o Carmona lhe deixou, a separar as folhas que ainda dão para rascunho... enfim, com tanta coisa para arrumar, é impossível que Costa comece já hoje a resolver as finanças da autarquia. Dahhh?!

terça-feira, julho 31, 2007

Que pena...

Óóóóóóóó!! Que pena... as pessoas que tiraram férias na segunda quinzena de Julho têm hoje de se pôr a andar de malas e bagagens para voltarem à vidinha divertida do trabalhinho. Óóóóóóóó! E as que foram na primeira quinzena de Julho já estão a precisar outra vez de férias. Poça pá, não há direito!

Faltam 10 dias!

segunda-feira, julho 30, 2007

O melhor da biografia 2

Mantorras é uma alcunha que quer dizer "queimado". Tudo por ter entornado uma panela de sopa em cima de si próprio. As queimaduras já lá vão, mas o miúdo continua todo queimadinho.

O melhor da biografia

No seu livro, Mantorras conta que mamou até aos 7 ANOS!!

P.S. - Lindo! Mas não mamava na mãe, era na vizinha, a D. Esperança... Palavras para quê?

quinta-feira, julho 26, 2007

Oops!

A minha pílula está esgotada!

Este é um facto a que não posso fugir porque das mil farmácias que já corri, nenhuma delas tem. Há uma ruptura no stock e ninguém me sabe dizer quando é que ela volta. Escusado será dizer que todos os santos meses vou comprar a pílula com as farmácias já a fechar e no próprio dia em que impreterivelmente tenho de tomá-la, não me deixando, por isso, grandes manobras para ir até ao Alentejo ver se existem por lá.

Não me imagino a regressar aos tradicionais métodos contraceptivos e então fico assim parada, amorfa, em frente ao balcão, de olhar perdido para a técnica de farmácia, que entretanto vai encolhendo os ombros e deitando um sorrizinho estúpido como quem pensa "pois é minha menina, vais ter de usar camisinha. Ih ih!"

Numa farmácia perdida lá para os lados do Sobreiro, chegou a solução! "Então, a menina leva outra marca. Não faz mal porque a composição é a mesma!" Acedi prontamente, mas enquanto a senhora foi lá dentro buscar a embalagem, a minha hipocondríce começou logo a achar que o meu corpo ia notar, que não se ia deixar passar assim por parvo e que ia reagir fortemente com vómitos, tonturas e suores frios... quem sabe até quebras de tensão. Quando ela volta, olho-lhe nos olhos e pergunto: "A senhora garante-me que eu não vou sentir a diferença?". Eu senti que ela tremeu e, pelo sim pelo não, respondeu: "O melhor é tomar outras precauções!". Nem tive coragem de lhe dizer que a minha preocupação não era a de engravidar, mas sim a de passar muito mal e ficar muito doentinha.

Estou há dois dias a tomá-las e sinto-me bem. Quanto às tais precauções, bom, não sei se me apetece...

(Nota final) De cada vez que durmo fora de casa, a pergunta da minha mãe: "Ó Ana, levas a PÍRULA?" Não é fofinha?

quarta-feira, julho 25, 2007

Historinha

Para nós mulheres está perfeitamente claro: Se nos esquecemos de uma peça fundamental na mala de viagem para a toilette da noite, vai-se ao centro comercial mais próximo e compra-se, certo?

Foi o que me aconteceu no fim-de-semana passado. A peça em falta eram uns leggings. Fui à loja, experimentei e o noivo veio ao gabinete de provas espreitar. A tirada dele: “Mas isso não te está muito apertado?”. (Havia de ser bonito vestir uns leggings assim para o folgadito. Um must!!)

Porque é que eles teimam em não se inteirarem das roupas, das cores, dos cortes, para que servem e como se usam? E se não querem saber porque é que teimam em ir ao gabinete de provas e porque é que ainda por cima fazem questão de fazer o comentariozinho?

Escusado será dizer que fui comprar os leggings e ainda trouxe mais umas coisinhas... para não ficar desconsolada!

segunda-feira, julho 23, 2007

Consultório que tal 6

Hoje temos uma pequena amiga – vamos chamar-lhe por exemplo Clarinha –, da Arrifana em Aveiro, que deu por ela no Coisas que tal quando perguntava:
já apanhaste o tal comboio?
e quando depois percebe: “Ah fogo ya tipo… ‘tou no Google”, logo retoma na janela certa, suponhamos, a conversa do msn com o amigo Luís da Mealhada.
Ó miúda, ‘tás toda trocada!

Frase top do fim-de-semana

- Então... vamos à água?

sábado, julho 21, 2007

Sim, a minha avó também aconselhava coçar os olhos com o cotovelo… Desde gaiata que sei que tentar levar a boca ao cotovelo é como acreditar que o lápis de cera branco venha um dia a dar cor ao papel cavalinho.


Posto isto…
Deixo pedaços de um diálogo encantador do livro que estou a ler, que dedico a todos vós… mas principalmente à Rosinha que faz anos hoje, e com quem tive o prazer de brindar à meia-noite! Feliz aniversário, querida!
.........................


«(...)
- Isso, o quê?
- Isso mesmo… – disse ela –. Você sabe do que eu estou a falar!
- Isso é vontade… – disse Elias Salomão, incomodado, interrompendo o que ia a dizer.
- A vontade é vontade primeiro. Para ser vontade que interessa é preciso gostar… Eu gosto mais de gostar do que da outra vontade e, mais, depois, muito mais, da outra vontade grande que vem de se gostar, quando sente e sabe que gosta…
(…)
- Está a falar do amor? – acabou por perguntar Elias Salomão.
- Não, estou a falar de gostar… Gostar é gostar… É o que se sente nos sítios em que se tem de sentir… Nos dois sítios onde tem de sentir… Amor? Não sei o que é… É palavra de explicar, mais do que palavra de sentir.
(...)»

Fernando Fonseca Santos In Os caminhos da terra

sexta-feira, julho 20, 2007

Inutilidades (giras)

Do livro de António Costa Santos

Ninguém consegue tocar com os lábios no próprio cotovelo, a menos que tenha uma fractura.

Impulsivamente achava que se conseguia. Depois de ter feito mil e uma figuras parvas a tentar, lá consegui perceber que não se consegue mesmo.

Bom fim-de-semana!

quarta-feira, julho 18, 2007

A favor...

Os radares que estão instalados em Lisboa são muitos, eu sei! Mas prefiro radares devidamente identificados e visíveis do que aqueles grandes paspalhos de farda escondidos atrás das matas para nos apanharem pela calada.

terça-feira, julho 17, 2007

Problemas...

Opá, o meu cabelo não cresce! Preciso que ele esteja grande em Dezembro para fazer um penteado que eu cá tenho na minha ideia para o dia do casamento e não há maneira dele crescer. Eu bem o estico com o babyliss, mas continua sempre na mesma e ainda por cima vou-me cruzando com aquelas pessoas verdadeiramente irritantes que me perguntam: "cortaste o cabelo?" Nãããõoo!

segunda-feira, julho 16, 2007

Azares

Manhã de sexta-feira 13. Acordo, tomo bahno, como, saio de casa para ir trabalhar e a dormir completamente em pé. Aliás, só esse estado explica o que se seguiu. Olho para o capôt do carro e vejo um monte de argamassa, alcatrão, who knows... Pego, cheiro e descubro que era cocó de gato seco e com pêlos. Resultado? Como não me podia esbofetear porque estava com os dedos a cheirar a bosta de miau, vomitei.

Não é tão bom começar assim o dia?

sexta-feira, julho 13, 2007

Nestes últimos dias produziram-se quantidades de ranho no meu nariz a velocidades superiores à do desmatamento da Amazónia

Claro que a comparação é ridícula:

se o meu nariz lindíssimo, desenhado a pincel, se assoasse com mais frequência ainda, cairia como uma árvore fustigada…
e as coisas estéticas são tão essenciais à sobrevivência do planeta como os pulmões verdes

A nao perder...

A crónica de Vasco Pulido Valente no Público de hoje.

Sobre os DOZE!! candidatos à Câmara de Lisboa: “Cinco estão ali só por causa da publicidade: Garcia Pereira (como de costume), Manuel Monteiro (um caso patético); Pinto Coelho, Quartin Graça e Gonçalo da Câmara Pereira. É um espectáculo triste, que tristemente foi levado a sério. (...) Nunca houve que, me lembre, uma eleição tão degradante como esta.”

E é verdade. Fiquei envergonhada quando assisti esta semana a parte do debate organizado pela RTP com todos os candidatos, com destaque para a anormalidade de Gonçalo da Câmara Pereira. A Fátima Campos Ferreira pedia que cada um dos convidados dissesse se ia ou não aproveitar alguma coisa do Plano de Reabilitação da Baixa-Chiado elaborado por Maria José Nogueira Pinto. Bem ou mal, lá foram dizendo umas coisitas. Quando chegou a sua vez, o Câmara Pereira disse uma coisa absolutamente extraordinária: “Eu conheço parte desse projecto e para mim a Baixa está muito bem assim. Lisboa está muito bem, deixem-na ficar como está que está muito bem assim”.

Extraordinário! No mínimo, não?!

quinta-feira, julho 12, 2007

Balanço da semana musical

A Gala das 7 Maravilhas foi um verdadeiro fiasco!! O Estádio da Luz nem meio cheio esteve, a espectacularidade pretendida ficou muito aquém do que se tem feito noutras ocasiões (olha, havia coisas mais criativas durante a Expo!), as falhas foram constantes e os compassos de espera davam para bocejar. Não pretendia dar uma linha sequer à desilusão que foi a performance de Joaquín Cortéz, mas não consigo. Ok, o senhor não lhe apateceu dançar, mas sei lá... ao menos que fizesse uns truques de magia com pombos, um número de equilibrismo... agora, batuques?!

Enfim, depois desta desgraça de sábado que, no entanto me valeu uma capa excelente, veio uma grande surpresa no domingo, com o espectáculo de Mariza e Amigos, nos jardins de Mafra. Ok, houve aquele pequeno issue (como diria uma amiga minha) com a cadeira ( e que conto no post anterior), mas o resto da noite superou tudo. O querido do Tito Paris esteve melhor do que nunca, o Carlos do Carmo, já se sabe, e o Rui Veloso (de quem eu nunca gostei) pôs-me ali presa aos poemas. Muito bom! Não me fui embora sem o arrepiozito do costume quando a senhora desceu até nós, comuns mortais, e cantou com aquele vozeirão o "Gente da Minha Terra".

As coisas voltaram a enfraquecer na terça, dia em que actuaram os Buena Vista Social Club. Mantêm apenas quatro resistentes - que mereceram muitos aplausos das minhas mãozinhas - mas o resto da banda é feita com malta nova e não consegui sentir aquele espírito de esquina cubana como estava à espera. Valeu por dois ou três temas excelentemente bem cantados.

Ontem, posso dizer que acabei a semana em beleza. No Bicaense, a brasileira Milene Pires lançou um livro e aproveitou para cantar numa espécie de tertúlia, muito cosy e recheado de músicos de excepção. Cantou sambas antigos, temas mais contemporâneos e convidou a cantar Luanda Rosete, dos Couple Coffee ( a ouvir!), e Teresa Salgueiro, dos Madredeus.
Uma verdadeira delícia que me deixou hoje com uma ressaca daquelas!

A semana vai acabar com o aniversário do meu pai, no domingo, e, portanto, em termos musicais, acho que a semana acaba mesmo por aqui, a não ser que a minha tia Paula se lembre de se agarrar ao karaoke. Ui!

quarta-feira, julho 11, 2007

Vergonha

Vai uma pessoa toda fina ver o concerto da Mariza e Amigos - um espectáculo que a senhora só deu em Londres - vai uma pessoa super bem sozinha ao espectáculo e dão-lhe uma cadeira que, quando a pessoa se senta, fica estatelada no chão perante as centenas de pessoas que já estavam arrumadinhas e que segundos antes pensavam: "Olha aquela pessoa tão agradável que vem sozinha ver o concerto da Mariza!"

Vergooooonha! Porque é que estas coisas me acontecem só a mim?

sexta-feira, julho 06, 2007

Coisas que estavam em cartaz no dia 13 de Julho de 2005

A globalização não é assim tão eficaz, ou então o Herman ignorou os conselhos que a Anette lhe dirigiu em Carta aberta.
Continua a aborrecer-nos com a sua presença, e até acha que o “Hora H” vai figurar nas 7 Maravilhas do Humor em 2017. Talvez seja uma bela ideia mudar o nome do programa para “Die Stunde X” (o equivalente da expressão em alemão, que na gíria militar significa a hora do ataque, da acção), e tentar vendê-lo a um canal alemão. Sempre treina o lado bilingue.



Também nesse dia 13 foi publicado um poema, que agora na voz da Marisa Monte faz mais sentido. Há muito quem saiba que sou muito fã dela.
- e imaginemo-la cantando no cinema de vitória da conquista para fazer um agradinho ao nosso leitor aí em baixo… -

Senhoras e Senhores, convosco:
Marisa Monte - Panis et circensis


Consultório que tal 5

Alguém do Brasil aportou a este blog assim:
qual filme estava em cartaz no dia 13 de julho de 2005 em vitória da conquista
Não sabemos por que ventos e marés o Coisas que tal será logo a 2ª opção do Google… e desta vez não conseguimos adivinhar o sexo nem a idade deste leitor… mas ganhou seguramente o prémio de “Pesquisa Mais Comprida de Sempre!”
E como Consultório que se preze não abala sem um conselho, sugerimos uma pesquisa ainda maior, que talvez lhe dê uma certa luz (nós sabemos que aí é Inverno…)
E se eu telefonasse para o cinema de vitória da conquista para saber qual filme estava em cartaz no dia 13 de julho de 2005?...

Monstruosidades matinais


Há lá coisa mais linda do que sair de casa numa manhã cheia de solinho, ir ali a atravessar a avenida principal de Mafra e dar de caras com um senhor de meia idade com uma t-shirt, uns calçõezinhos e umas crocs????!!!

Verdade, o senhor tinha umas crocs AZUIS orgulhosamente calçadas. (Para quem não sabe, pus uma foto). Reeeedículo! É o que se me oferece dizer perante um cenário tão dramático. Sim, porque um senhor de meia idade que sai à rua com umas crocs azuis calçadas é porque está sozinho neste mundo e não tem ninguém lá em casa que lhe diga, "Não! Isso não! Masi vale levares a meia branca com a sandália aberta que sempre passas por camone".

Bom fim-de-semana. (Hummmm! Hoje temos barrigada de sushi, né amigas?)

quinta-feira, julho 05, 2007

Politiquices

"Posso dizer mal do Governo se for na minha casa, na esquina..." Esta foi a atrasadice mental dita pela secretária adjunta da Saúde e que levou à gargalhada geral da plateia para a qual discursava.

Eu confesso que não tenho vontade de rir. Tenho é vergonha de, passados 33 anos sobre o 25 de Abril, ainda existirem governantes no nosso país a pensarem desta forma. Cada um é livre de pensar o que quiser (esta senhora não entende isso), mas ainda me faz mais confusão ver este tipo de gente em cargos de poder.

Então mas esta atrasada mental quer que as instituições, o Governo, possam fazer o seu trabalhinho descansados sem vozes de oposição, sem críticas? Então esta senhora não sabe que a crítica é essencial à melhoria? Esta senhora, que se diz ligada à Saúde, não sabe que muitos medicamentos são ruins mas que salvam muitas vidas?

Mas agora temos uma anormal armada em Alice no País das Maravilhas, a querer escamotear a realidade e a querer amordaçar o povo para que tudo pareça perfeito?

Então mas agora quando me perguntarem: "Na tua casa, ou na minha?" Eu vou ter de fazer o esforço de perceber se é para a queca ou se é só para dizer mal?

Então agora vamos deixar de ver as putas nas esquinas porque elas já estão ocupadas com os tipos do sindicato a ter uma reuniãozita?

Não me parece bem!

terça-feira, julho 03, 2007

Contente...

Por este andar, o sol de Verão chega lá para Setembro e no dia do meu casamento (Dezembro) ainda vai haver braseiro.

segunda-feira, julho 02, 2007

Maravilhas que tal



2 anos e tal de Coisas que tal e chega-nos um agraciamento cheio de esplendor...

A Mia do Pulfashion entendeu atribuir a este humilde cantinho uma nomeação. Ora diz o regulamento
que podemos indicar outros 7 blogs que possam querer participar.

(Últimas notícias aqui)


Como não queremos que nos acusem de sermos imparciais, só elegemos amigos e/ou pessoas que admiramos… e houvessem mais votos para dar e mais distribuiríamos…


And the nominees are:

1 – A pipoca mais doce
(a pipoca com mais salero da blogosfera, prestes a cortar a meta… e se este prémio lhe assenta bem!)

2 – O blog do desassossego
(a convicção misturada com humor numa leidi só)

3 – O boato
(boatos que apetecem reler… e citar)

4 – Pontapé de canto
(tem estado no banco, mas promete mais pontapés)

5 - PulpFashion
(retribuição sincera do elogio que tal: Hilariante!)

6 - Venteca
(os 3 melhores ventequeiros do Mundo: e está tudo dito…)

7 – Ventoinha
(pelo talento, a originalidade, são os máiooores!)



Apressem-se nas vossas nomeações pois o prazo termina amanhã 3ª-feira, às 23:50.
É votar, amigos, é votar!!

quinta-feira, junho 28, 2007

As primeiras duvidas do noivo:

- Ai temos de escolher o tema para as mesas, é?
- Ah... queres que a minha gravata faça pendat com alguma coisa do teu vestido, é? -
- Mas achas que consegues mesmo fazer os convites?

quarta-feira, junho 27, 2007

Conversa em dia (ora ca esta um bom nome de blog!)

Bom, na segunda-feira fui a Rolling Stones e adorei. Quem me conhece sabe que não sou muito de ir a concertos, mas dos que fui, este foi sem dúvida o melhor. Acredito mesmo que será o melhor ainda por mais alguns anos. Verdade! Pena a Ana Moura ter dado barraca em palco, mas já nos vamos habituando às pequenas vergonhas nacionais...
A semana estava a começar bem demais! Quando saí do concerto dei uma entrevista à RTP em que repeti umas vinte vezes a palavra "espectacular!!" e mal saí dos microfone encontrei uma nota de dez euros no chão.

Pois, na manhã seguinte, ainda não tinha tido tempo de acordar, já estava a levar com uma multa de 120 euros por excesso de velocidade, numa altura em que tenho a carta de condução suspensa. Bonito, não é?

Hoje já me refiz. Que remédio! Já estou a trabalhar, sinto-me bem e, acima de tudo, não me dói a barriga, não tenho tonturas, a respiração está normal e a cabeça não dói. Sim, hoje estou bem e este calorzinho faz deste dia um dia ainda melhor. Beijinhos e boa quarta-feira que sexta está aí o feriado de S. Pedro.

domingo, junho 24, 2007

Para isto!

Anda uma pessoa a estudar durante tantos anos; a aturar coleguinhas armados em parvos que fazem os testes todos de lado para não copiarmos e não emprestam apontamentos; andei eu a fazer aqueles trabalhos de grupo com gente que eu detesteva e em que se passava a maior parte do tempo a discutir se escrevíamos "metessem" ou "pusessem" para depois aquilo sair uma bosta; estive eu à beira do desespero de cada vez que entrava numa aula de inglês com o professor David Hardisty que teimava em falar chinês comigo; passei horas infindas a ver as mesmas ensonadas caras no 63 da Damaia que me levava à faculdade; andei eu a fazer isto e muito mais para chegar a este domingo... e estar a trabalhar! Tsss, tsss!

sexta-feira, junho 22, 2007

As frases recorrentes dos meus pais 1

Vivo com eles há 30 anos, este é o último ano... snif... e já me habituei às frases que alegremente vão partilhando um com o outro sem se aperceberem que quase todos os dias, todas as semanas, todos os anos, dizem as mesmas coisas. E mais: fazem-no com aquele ar de quem está a dizer aquilo pela primeira vez.

Os dois estão ao pé do desumidificador no quarto e um deles diz: "Vê lá tu a quantidade de água que isto tira. impressionante!"

Sexta-feira à noite, um deles atira: "Amanhã vamos comprar peixinho"

À noite, no sofá, em frente à televisão, a eterna dúvida do meu pai: "Então o que é que vai dar?"

De manhã, comigo já a sair porta fora em direcção ao trabalho, a minha mãe: "Levas o telemóvel?"

De cada vez que vêem o neto: "Ai ele está tão grande e tão engraçado!"

Enfim, estou a escrevê-las e a rir, só de me lembrar a quantidade de vezes que já as ouvi.

Bom fim-de-semana maltosa chunguita e divirtam-se muito que como diz aqui a colega do lado "a vida é mais curta que comprida".

quinta-feira, junho 21, 2007

Mais uma...

Este bicho não me larga. Ontem estava toda bem disposta a trabalhar (sim, estava bem disposta) quando me começa a dar uma alergia (mais uma) maluca. Claro está que entrei logo em pânico, disse para mim "é desta ana que vais desta para melhor porque primeiro que a ambulância dê com a entrada da Impala tu morres asfixiada", e fui para casa com um anti-alérgico debaixo da língua.

E pronto, ainda aqui estou, e dizem vocês "ainda bem!", mas continuo sem perceber que raio de porcaria é que eu como ou que anda no ar para, de repente, desatar numa baba só. Não há direito!

PS: Qualquer coisa estou na praia a entrevistar um modelito dos Morangos com Açúcar, tá?

quarta-feira, junho 20, 2007

Por favor...

Eu juro que começo a comer fígado grelhado acompanhado com cebola, que deixo de comprar um biquini de dois em dois meses, a sério, eu desisto de casar, eu vendo a casa, eu deixo crescer as unhas dos pés, eu passo a ver todos os dias As Tardes da Júlia e até passo a fazer sessões fotgráficas em biquini, cheia de pelos no rabo, como a que a Fátima Preto fez nesta edição da revista TV 7 Dias (a não peder!!). Eu faço isto tudo! Agora... o DERLEI NO SPORTING?!
Não, isso é que não!

terça-feira, junho 19, 2007

E eu para aqui...

O noivo está de folga a divertir-se à grande e à francesa. Pais ligaram a dizer que novo restaurante ao pé do mar é assim de se lhe tirar o chapéu. Amiga armou-se de malas e bagagens e manda mensagem a dizer que já fez chek-in para só regressar daqui a duas semanas. E eu para aqui aos caídos, com o rabo enterrado em frente ao computador à espera que mais uma reunião comece para saber quem em vou perseguir desta vez.

quinta-feira, junho 14, 2007

Ditado inventado

Junho... águas mil.

Não rima, não é? Pois nem tudo o que não rima deixa de ser verdade!

sexta-feira, junho 08, 2007

Noticia de ultima hora (rai's parta os acentos!)

O almoço de hoje na cantina desta bela empresa é fígado grelhado. Sim, eu sei, vou parar para não vos dar mais vómitos e vou pegar na minha bela malinha para comer na rua uma outra coisa mais airosa. Fígado grelhado?! Esta gente anda completamente louca.

PS: Estava em polvorosa para curtir o Alive durante os próximos três dias quando, de repente, fiquei a saber que aminha presença é necessária na Madeira durante o fim-de-semana para uma investigação jornalística muito secreta.
Caramba! Eu adoro a Madeira, mas ó chefe, não dá para mudar essa viagem assim para um fim-de-semana que eu tenha mais mortiço?

Bom sábado e bom domingo.

quarta-feira, junho 06, 2007

Espectaculo!

Muitos, como eu, terão visto o jogo de ontem entre o Kuwait e Portugal. Independentemnete do mau jogo que fizemos (porque fizemos!) valeu a pena assistir à partida pelas habilidades demonstradas, ou melhor tentadas, pelo jogador do Kuwait, um tal de Swayed (um assim pequenino de risco ao meio e de pêra).
Não foi demais vê-lo com aquelas fintas? Eu fartei-me de rir e nem sei como é que os defesas não se desmancharam também quando ele se punha com aquelas tentativas de fintas malucas mesmo ali à frente deles. Espectáculo! Engraçado é que o povo lá gostava. Os gajos cagam se o tipo consegue ou não ser bem sucedido. O que eles querem é brincalhões de areia, só isso justifica os aplausos que o jogador recebia de cada vez que fazia aqueles malabarismos... que nunca davam em nada.

sábado, junho 02, 2007

Arco-íris global



As fatias desta pizza representam os países de onde vieram os últimos 100 visitantes do Coisas que Tal...
É bonita a aldeia global!
(e agora vou para a praia, é hoje o dia do mergulho, é hoje!)

sexta-feira, junho 01, 2007

Coisas oficiais!

É oficial! A época balnear 2007 arrancou hoje oficialmente. E perguntam vocês: O que é que temos a ver com essa merda? Bom, a verdade é que não têm. Mas eu gostava de partilhar convosco o facto de em anos anteriores, por esta altura, já ter corrido meia dúzia de praias da nossa costa. Em anos anteriores, por esta altura, já tinha uma corzinha e não estava como hoje estou com estes braços que parecem duas lulas. Em anos anteriores, por esta altura, já tinha rodado todos os meus modelitos de sapatos abertos e já estava sofregamente a pensar em férias descaradas.

Este ano as coisas estão diferentes. Anuncia-se um Verão escaldante, mas eu acho que o que vamos ter é mais um Inverno escaldante, a ver pelo atraso com que esse calor está a chegar. Estamos em Junho e ainda não mergulhei. Tenho botas calçadas, ainda não dormi sem pijama e ainda não tomei aqueles duche de água fria à saída da praia só para tirar o sal. Uma tristeza, é o que eu vos digo!

Ah, e é oficial também. Hoje é o Dia Mundial da Criança. E perguntam vocês: Sim, e o que é que temos a ver com essa merda? Bom, na verdade tudo, é que vocês são os putos mais giros que aqui andam.

Bom fim-de-semana.

quinta-feira, maio 31, 2007

Coisas que aprendi sozinha sobre mim 2

Numa noite de insónia o remédio santo é tirar a almofada para o lado. Adormeço em dez minutos.

domingo, maio 27, 2007

Na barra dos tribunais mentais

Todas as pessoas são consideradas (potencialmente) normais, até prova em contrário.

sexta-feira, maio 25, 2007

Procura-se

Especialista em esgotamentos: a meteorologia já entrou em depressão profunda.

quarta-feira, maio 23, 2007

Coisas que aprendi sozinha sobre mim 1

As minhas unhas crescem mais rápido no Verão e quanto mais praia fizer, mais elas crescem.

terça-feira, maio 22, 2007

Positivo

A conversa sobre esquizofrenia esta manhã na Rádio Clube, no Minuto a Minuto, do João Adelino Faria

segunda-feira, maio 21, 2007

Coisas da era moderna

Já viram aquelas novas águas Vitalis que deixam o rabo todo jeitoso e poderoso como o da menina que aparece no anúncio? Pois é, devo informar que já comprei uma grade delas. É que para o mês que vem conto em começar a ir à praia e não me apetece nada levar o meu rabo, com aquelas inestéticas celulites e estrias. Ainda bem que a evolução da Medicina nos permite deitar para trás das costas esses problemas que durante tantos anos deram as maiores dores de cabeça às mulheres de anteriores gerações. Não é?

quinta-feira, maio 17, 2007

Quando os roupeiros encolhem

Eles vestem a primeira coisa que lhes aparece à frente e siga. Não têm condicionalismos de qualquer espécie no que toca à escolha da indumentária e depois estranham que nós, mulheres, nos deitemos a pensar na roupa que vamos vestir no dia seguinte. Pudera!
Hoje, com a certeza de que os homens não pensam em metade destas coisas, vou revelar o que acontece à maioria das mulheres que, manhã sim, manhã sim, vêem o seu roupeiro reduzido.
A explicação é simples. Não basta pensarmos num conjuntinho catita para o assunto estar resolvido. É que se temos a depilação das axilas por fazer, metade das t-shirts fica posta de lado e encontramo-nos perante camisolas de gola alta num dia em que as temperaturas ameaçam chegar aos 25 graus. É óbvio que nos sairá uma das frases mais comuns e desesperadas da parte da manhã: “Não tenho nada para vestiiiiiir!”.
Mas se as coisas andassem só por aqui estava tudo muito bem. Aos inestéticos pelinhos que começam a crescer na axila e que a esteticista teima em dizer que com aquele tamanho ainda não dá para tirar juntam-se outros “redutores de roupeiros”. São umas meias essenciais que estão para lavar - lá ficam alguns pares de ténis de lado - um soutien com determinadas características que é o único que encaixa com aquela roupa – mais uma catrafada de blusas que morrem naquele momento, as unhas dos pés que não estão pintadas – impensável levar qualquer tipo de sapato aberto.
Perante isto, os homens não espantem que nós anunciemos num grito de dor que naquele dia não temos nada para vestir. O roupeiro pode estar cheio de roupa mas acreditem, alguma destas coisas se passa. Ah, e já agora, nestas situações, evitem dizer coisas do género: “porque é que não levas esta saia? Fica-te tão bem!” Arghh! Nós estamos a ver tudo o que vocês vêem e, por isso, essa saia TAMBÈM está fora de questão. Sugestão? Vão para a cozinha preparar um maravilhoso pequeno-almoço à princesa e não digam nada. Perante momentos de depressão, nada melhor que encher o bandulho... em silêncio.

quarta-feira, maio 16, 2007

Silêncio, que se vai cantar

Já não ouvia esta música há muito tempo e, outra noite, tive um momento mágico, quando 4 numa viagem de carro, a cantámos cheios de sentimento.
Fez-me recordar igual momento mágico, quando arrastei 2 para o cinema, para ver o “Buena Vista Social Club”; e eles adormeceram e perderam este dueto, que agora revi maravilhada.
Senhoras e Senhores, convosco:

Ibrahim Ferrer y Omara Portuondo - Silencio

domingo, maio 13, 2007

De mujer a mujer...

(têm de clikar na imagem para ler)
... e vem mesmo a propósito para ilustrar uma conversa que tive outro dia ao almoço...
e depois a Cláudia, parecendo adivinhar, enviou-me esta história por mail, um Livro do Génesis muito mais lógico, não acham?

Coisas que acontecem

E eu bisei!
Desta vez pelo menos foi com mais chique, no WC dos Pastéis de Belém, mas o cómico da coisa que tal é que foi na mesma altura do ano, por voltas do aniversário de Anette Margarette. Na 1ª vez, o acidente decorreu num piquenique no Parque da Serafina, há quantos anos?, e também esse telemóvel não voltou à vida.
Perdi as mensagens mais fofinhas que guardava com carinho, todos os contactos dos amigos (que não residiam na estreita memória do cartão); por isso apelo a que me enviem os vossos contactos para aquele mail que ninguém desconfia...

sexta-feira, maio 11, 2007

A semana...

* A vitória de Nicolas Sarkozy em França confirma que na minha cabeça as coisas fazem cada vez mais sentido quanto mais longe estiverem da direita.

* A propósito da crise que paira na Câmara Municipal de Lisboa recebi esta semana um e-mail com piada que simulava uma conversa entre os vereadores. Eles concordavam em renunciar aos cargos, sem pestanejar, mas quando chegava à hora de efectivarem essa posição começavam a dizer uns para os outros: - Faça favor, depois de si, Senhor Vereador; - Não, depois de si, Senhor Vereador; - Senhora Vereadora, por favor; - Não, o Senhor Vereador, depois de si; - Não, o Senhor.

* A saída de Tony Blair do governo britânico após dez anos no poder. Apesar de eu não conseguir esquecer a merda da grossa que fez em relação à guerra do Iraque, consigo reconhecer a importante intervenção que teve, por exemplo, no Kosovo, e a revolução que fez no Reino Unido no sentido de uma evolução, é claro. O importante acordo que conseguiu na Irlanda mesmo antes de abandonar o poder, são mais um mais na caderneta deste senhor que tem uma falha no dente da frente (não sei se tinham reparado!).


* O Paços de Ferreira vence o Futebol Clube do Porto e o Sporting Clube de Portugal, que também venceu, passa para a frente do Campeonato. (Eh, eh, vamos lá a ver!)

Bom fim-de-semana a todos e sorriam muito que diminiu as rugas.

quinta-feira, maio 10, 2007

Boa...

... a crónica de António Lobo Antunes na Visão que está hoje nas bancas.

É estranho ter um dos meus escritores preferidos de sempre ainda melhor, pelas piores razões, é certo, mas ainda melhor!

quarta-feira, maio 09, 2007

Desvios... e vario

A minha revista está em processo de mudanças de direcção. Nem sei se vos diga, se vos conte! É nestas alturas que as pessoas se revelam e o que posso dizer é que a vida é mesmo muito injusta. Estou cheia de medo sobre o que vem a seguir e o pior é que essa coisa de dizerem que as mulheres têm um dedo que adivinha é tudo mentira. Não faço puto ideia do que vai acontecer e só espero que esta ausência de chefia passe rápido porque eu preciso sempre de alguém a dar-me com o chicote. A ver vamos!

Apesar de não ter o tal dedo que adivinha aposto que o jornal da noite da TVI vai abrir com mais uma não notícia da Madeleine. Impressionante o tratamento jornalístico que se faz quando o factor novidade não existe.
Com tantos desvios no meu percurso de vida - e o que eu gosto de tê-lo sempre tão certinho - a minha cabeça começa também a variar.

Beijos de quem vos quer muito bem e de quem se tornou ouvinte fervorosa da Rádio Voz de Alenquer: "A Força Total à Música Nacional!"

domingo, maio 06, 2007

POEMA À MÃE

No mais fundo de ti
Eu sei que te traí, mãe.

Tudo porque já não sou
O menino adormecido
No fundo dos teus olhos.

Tudo porque ignoras
Que há leitos onde o frio não se demora
E noites rumorosas de águas matinais.

Por isso, às vezes, as palavras que te digo
São duras, mãe,
E o nosso amor é infeliz.

Tudo porque perdi as rosas brancas
Que apertava junto ao coração
No retrato da moldura.

Se soubesses como ainda amo as rosas,
Talvez não enchesses as horas de pesadelos.

Mas tu esqueceste muita coisa;
Esqueceste que as minhas pernas cresceram,
Que todo o meu corpo cresceu,
E até o meu coração
Ficou enorme, mãe!

Olha - queres ouvir-me? -
Às vezes ainda sou o menino
Que adormeceu nos teus olhos;

Ainda aperto contra o coração
Rosas tão brancas
Como as que tens na moldura;

Ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
No meio do laranjal...

Mas - tu sabes - a noite é enorme,
E todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
Dei às aves os meus olhos a beber.

Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo as rosas.

Boa noite. Eu vou com as aves.

.....
Eugénio de Andrade In Os amantes sem dinheiro

quarta-feira, maio 02, 2007

A chuva, o vestido e a idade

Não há nada pior do que acordar no primeiro dia de férias e dar de caras com um dia cinzento, frio e chuvoso. Ok, há pior! Ver o vestido de noiva dos meus sonhos, experimentá-lo, assentar que nem uma luva e não ter dinheiro para o pagar!! Enfim... deve haver coisas ainda piores.

* Este é o meu último post com os meus 29 aninhos. Amanhã? Temos trintona! Ui...

sexta-feira, abril 27, 2007

Porque sim!

Hoje é sexta-feira. Como eu adoro a sexta-feira.
Sempre foi assim. Dou por mim a pensar na sexta e, verdade verdadinha, o que eu gosto mesmo na sexta-feira é da noite. Fico o dia todo a pensar que o dia tem de acabar depressa, bem depressa, e depois acabo sempre por não fazer nada de especial. Mas não me chateia não fazer nada de especial, porque só de pensar que no dia seguinte não vou ter um despertador a tocar, só isso, já é verdadeiramente especial. Esta alegria do final da semana ninguém me tira. Esta liberdade que já sinto a aproximar-se à medida que o dia avança dá-me forças para aturar colegas chatos e chefes armados em ditadores. Dá-me alento para escrever mais uma página sobre coisa nenhuma e para partilhar convosco esta síndrome da sexta-feira comum à maioria dos mortais mas que eu entendo como uma coisa muito minha. Como se fosse!

quinta-feira, abril 26, 2007

Consultório que tal 4

Continuamos a nossa rubrica de aconselhamento aos leitores; claro que não atendemos todas as pesquisas malucas, só aquelas que nos parecem mais passíveis de precisar de uma opiniãozita. Hoje temos então um menosprezado cidadão da Invicta que pergunta:
porque e que elas nos enganao
Podem existir variadas razões para o porquê de elas enganarem os homens em geral… mas no teu caso, amigo, talvez seja por causa dos teus erros ortográficos.

domingo, abril 22, 2007

«Ser major reformado parece-me uma coisa ideal. É pena não se poder ter sido eternamente apenas major reformado.»


Fernando Pessoa In O livro do desassossego

sexta-feira, abril 20, 2007

Again...

Iniciei uma dieta rigorosíssima e decidi inscrever-me no ginásio para que tudo seja feito como mandam os livros. Aliás, já noutra altura da minha vida o tinha feito e a verdade é que consegui perder 11 quilos.
Os bloggers mais atentos certamente se lembrarão que estou sem fazer exercício há cerca de um ano, altura em que fui obrigada a deixar de jogar basquet por causa de uma alergia sem explicação que aparecia quando estava a treinar ou a jogar e que da última vez me ia matando.
Bom, decidi então retomar a minha actividade física e inscrevi-me num ginásio super simpático ali na Ericeira, com vista para o mar. Como já estava parada há algum tempo combinei com o personal trainer que a primeira sessão tinha que ser mansa, afim de me conseguir levantar da cama no dia seguinte. Da segunda vez que fui lá decidi puxar mais um bocadinho e toca de começar a transpirar que nem uma louca. Era o suor a pingar e eu a sorrir por dentro só de imaginar as calorias que eu estava a abandonar no chão daquele simpático ginásio.
Bom, estava eu a deitar os bofes pela boca e a partir confiante para a zona dos abdominais quando comecei a sentir umas leves comichões no peito. Bastou um segundo para de repente ficar cheia de babas pelo corpo. Aquilo estava a acontecer. A puta da alergia estava ao rubro e só dez minutos debaixo do chuveiro me salvaram de mais uma noite no hospital a cortisona.
Chego à triste conclusão de que faço reacção alérgica à minha própria transpiração e fico derreada. Durante toda a minha vida transpirei, adoro ficar a pingar e com o músculo a doer, amo fazer jogging e já tinha em mente a compra de uma bicicleta para umas longas e suadas pedaladas. Nada disso! O meu suor tornou-se venenoso e não sei quando é que vai voltar ao normal. Até isso acontecer, vou continuar de papo para o ar, sem me cansar, sem suar as estopinhas.
No meio de toda esta confusão, tenho pena que a Medicina não me ajude e que para os alergologistas que já consultei e onde já deixei rios de dinheiro a minha alergia continue a ser um mistério.

sábado, abril 14, 2007

Dia de heresia segundo José Régio

os últimos versos do Cântico Negro:
«(…)
Deus e o Diabo é que me guiam, mais ninguém.
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.
Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou,
Sei que não vou por aí.»

sexta-feira, abril 13, 2007

Abril 22 mil

Chegadas à contagem anual que se presta à rima fácil… o nosso querido blog caminha ligeiro.
A estatística é comedida, o movimento calmito, constituído em grande maioria pelos nossos(as) amigos(as), que aqui se reúnem nesta mesa de café virtual.
O Coisas que tal é de nós para vós.

terça-feira, abril 10, 2007

Atenção, Bibliotecas e Centros de Documentação!



É oficial!
Após toda a parte curricular, o suor desembolsado, estágio feito e projecto apresentado, já tenho na mão o meu diploma de Técnica Profissional de Biblioteca e Documentação. E tenho muita vontade de vos contar, não sem uma pontinha de vaidade, que terminei o curso com média final de 18 valores!



Para comentar o post de hoje da Ana – sobre o ser-se licenciado ou não, eis a questão! - devo dizer que a maior parte dos meus colegas eram licenciados que não conseguiram arranjar trabalho, ou pessoas com frequência universitária (como eu) que por qualquer razão não tinham concluído os seus cursos ou que pensavam vir a concluí-los…


P.S. – Escolhi a imagem da minhoca porque já estou um pouco saturada da expressão “rata de biblioteca”, nem precisam de perguntar porquê…

Doubts

Antigamente:

Ser ou não ser? Eis a questão!

Agora:

Ser ou não ser licenciado? Eis a questão!

segunda-feira, abril 09, 2007

Balanço... rebolando!

E pronto. Já lá vão os três dias mais estúpidos que tive nos últimos tempos em matéria de palermice alimentar. Como se não bastasse ter entrado neste fim-de-semana alargado de Páscoa com um jantar na sexta-feira cheio de coisas gordas, passei depois o sábado e o domingo a enfardar amêndoas, chocolates e afins como se o coelhinho da Páscoa não fosse voltar nunca mais. Não me lembro de ter tido intervalos entre as refeições (num esforço de memória só me lembro de estar ininterruptamente a comer) e há muito tempo que o meu pequeno-almoço não se fazia de literais injecções de açúcar disfarçadas de fatias de bolo e brigadeiros.
Hoje voltei ao normal – comi fruta ao pequeno-almoço – mas sinto que o meu corpo não pára de me pedir só mais um bocadinho de chocolate... vá lá, só mais um, para a despedida. É a ressaca de dois quilos animalescamente ganhos durante um fim-de-semana prolongado. Isto já não é gula... é pura estupidez!

domingo, abril 08, 2007

Dia de heresia e escatologia

Que eu adoro provérbios já não é novidade para ninguém; … e nestas voltas descobri um algo misterioso, relacionado com isto, que me deixou a repisar na dúvida.
Ou me mostram uma passagem da Bíblia que justifique tal converseta, ou isto é um bocado esquisito. O dito, sito no livro “Provérbios Portugueses”, reza assim:

- Deu-me Deus um ovo e esse gozo

sábado, abril 07, 2007

É tão bom uma amizade assim *

Vale a pena ver
castelos no mar alto
Vale a pena dar o salto
pra dentro do barco
rumo à maravilha
e pé ante pé desembarcar na ilha
Pássaros com cores que nunca vi
que o arco-íris queria para si
eu vi
o que quis ver afinal

É tão bom uma amizade assim
Ai, faz tão bem saber com quem contar
Eu quero ir ver quem me quer assim
É bom pra mim e é bom pra quem tão bem me quer


Vale a pena ver
o mundo aqui do alto
vale a pena dar o salto
Daqui vê-se tudo
às mil maravilhas
na terra as montanhas e o mar as ilhas
Queremos ir à lua mas voltar
convém dar a curva
sem se derrapar
na avenida do luar

Sérgio Godinho


* dedicado à Anette, Natasha, Teté e Martolas

domingo, abril 01, 2007

Ai que nervos!

E pronto, cá estou eu na redacção à espera que a hora certa chegue para arrancar para a Venda do Pinheiro onde é gravado esse magistral programa de "A Bela e o Mestre". Ai que nervos. Será que vão sair o Nuno G. e a Telma ou será antes a dupla Carlos M. e Sofia? Hum? Uma excitação não é?! Mas bom bom é ver aquelas mamocas da Iva Domingues todas estrafegadas em corpetes que, diz ela, custam cerca de 350 euros. Meu Deus o que eu fazia com 350 euros... espalmar as minhas mamas não era de certeza!
Depois há também o resto dos cormos todos, as famílias dos cromos, a Marisa Cruz, o espanhol que lá anda, o Zink e, melhor entre as melhores, a Clara Pinto Correia, esse símbolo da imbecilidade feminina misturada com uma espécie de quarentona frick desdejosa de ter mais um intervalo para dar mais um cheirinho. Vocês acreditam que a mulher vai para os estúdios com a cadela? Acham normal? No fim da gala, lá vai ela, toda despachada com a cadela sem trela atrás dela em direcção ao carro. Enfim... como podem ver uma grande noite de trabalho se avizinha e, depois de ontem termos todos ficado a saber que o tubarão era o Gonçalo (esse querido do Marco D'Almeida que há muitos anos se perdeu de amores pelo não menos simpático Diogo Infante), só me resta agora acabar este belo fim-de-semana primaveril enfiada num estúdio da Venda do Pinheiro com as belas e os cromos. Arghhhh!

sexta-feira, março 30, 2007

Eu querer, queria!

Gostava de poder carregar num botão e visionar os momentos em que pela primeira vez tomei contacto com aquelas que são hoje as minhas grandes amigas. Não me recordo como foi aquela primeira palavra, o primeiro gesto, o primeiro silêncio... Sei mais ou menos quando foi, mas queria ver ao certo como foi. Quase todos os dias conhecemos pessoas novas. Umas desvanecem-se minutos depois e nunca mais voltamos a vê-las. Outras, por qualquer razão desconhecida, entram de rompante nas nossas vidas e nunca mais saem delas. É o caso da Natasha, da Gui, da Teté e da Martolas. Quando nos conhecemos éramos umas miúdas e falávamos de peidos e de fodas como quem acendia a segunda ganza da noite comprada a muito custo com os trocos que se conseguiam reunir lá em casa. Por aqueles dias, tenho a certeza que nenhuma de nós imaginava que os nossos caminhos iam ser comuns durante tanto tempo. Hoje raramente paramos para pensar como é que tudo começou. E era isso que eu gostava de poder ver agora... assim de fora, ao estilo mosca. Poder ver tudo de novo e perceber como é que esta nossa bonita e saudável amizade teve o seu início. Numa altura em que não sabíamos sequer se no dia seguinte, quando nos encontrássemos de novo, iríamos retribuir o frio e cordial “bom dia”.

quinta-feira, março 29, 2007

Eu andava desconfiada...


Já sei que quem não vota, não deve vir cá depois argumentar… mas se cada número de telefone só podia eleger uma pessoa, como é que aquilo funcionava para o Pessoa?

quarta-feira, março 28, 2007

Tic Tac

As noites já chegam mais tarde, pulámos para a hora de verão.
Permeável às mudanças, arrecadei as malhas e fazendas e prefiro os dias mais leves, adeus até ao próximo inverno.

Os relógios de casa deixam-se estar friorentos, num tic tac indiferente, até que alguém os adiante no tempo quente.
O estômago impassível a reformas, que lhe dá que se manifeste lá fora a natureza, tic tac dá horas mal lhe bate a fome.

segunda-feira, março 26, 2007

Cada vez melhor!



O David Caruso está mais velho... e cada vez melhor!
O olhar está mais inquietante, o cabelo está cada vez mais ruivo, as rugas de expressão dão-lhe mais intensidade e aqueles óculos escuros... bom, aqueles óculos escuros tiram qualquer mulher do sério.

Enfim, alguém é capaz de explicar a este homem que nem nas orelhas tem charme?

Observação: Salazar foi eleito o Grande Português. Bom, não vou discutir o assunto, mas apenas pegar numa coisa que alguém escrevia nos jornais do fim-de-semana e que dizia qualquer coisa como "foi preciso o homem morrer para pela primeira vez ser eleito pelo povo democraticamente através do voto livre e em consciência".

Bom início de semana que isto para estes lados está difícil. Esta mudança da hora faz os dias mais compridos mas baralha-me os sonos todos.

quinta-feira, março 22, 2007

- Quando é que se abre a porta à Berta?
- Quando a Berta bate à porta!


Era o meu “troca letras” evidente quando abria a porta à minha amiga e companheira de casa, a Berta. Corria o ano de 95 e tínhamos alugado um T2 no Candal, em Gaia, perto do local onde se encontra hoje o enorme cogumelo do Arrábida shopping. Ficava na Av. Camilo Castelo Branco, e dada a associação de ideias com o livro ”A louca do Candal”, a zona supostamente assombrada e os vizinhos estranhos, inventámos uma ‘criada de dentro’, a Gertrudes, que era sempre responsabilizada pela eventual desarrumação ou pelo descaminho de algum objecto. À época tínhamos muito pouca mobília, um beliche e uma cama, na sala uns sofás velhos e uma mesa de plástico que a Berta gostava de ter coberta com uma toalha e posta a preceito para o chá. Quando chegou o frigorífico velho, oferecido por alguém, foi baptizado efusivamente de “Moby Dick”. A televisão e um pequeno rádio com cassetes chegaram mais tarde, durante meses acompanhou-nos apenas um gira discos e os vinis da Berta. Lembro-me das colectâneas de compositores clássicos das várias épocas, mas destaco o Bach cinzento das tardes do Douro. Destaco o “War” dos U2, cheio de hinos de uma ponta à outra. A Berta insistia no Leonard Cohen, e o “Take this waltz” soprava-me ao ouvido em todo o lado, não parava de me perseguir…
Guardo recordações muito agradáveis dessa época, a Berta era uma companheira de casa muito especial e a mais original de entre todas as que tive. Fazia sumos de maracujás verdadeiros, estudava Física mas também falava de Filosofia e de Política, e era das poucas pessoas que me batia no Trivial. Existem muitíssimas histórias engraçadas, mas não vou alongar-me muito mais. Ela conhece-as.
A Berta hoje vive em Aveiro. Investiga algo relacionado com fibras ópticas. Já não nos vemos há uns anos, mas continua a devorar livros e ultimamente anda encantada com a Agustina. Sei tudo isto porque eu e a Berta ainda somos amigas, apesar da distância, porque a Internet e o telefone permitem as mesmas conversas intermináveis…
e hoje este post é para ela:

Feliz Aniversário, minha querida! Tenho saudades tuas!
E apesar de não te ver há n Primaveras… sabes que, agora como antes, haverá sempre a mesa posta para o chá. Beijos.
(o teu presente de Natal vai seguir pelo correio, desculpa o atraso)

quarta-feira, março 21, 2007

Dia de heresia segundo Sartre



« A minha liberdade é escolher ser Deus, uma escolha óbvia e que ecoa em todas as minhas acções. »

In O ser e o nada

segunda-feira, março 19, 2007

(+) Consultório que tal

Voltamos ao capítulo das pesquisas estranhas que vêm parar ao nosso estaminé.

Reparem nesta que adivinhamos ser uma mulher, do Maranhão no Brasil, que não diz “pila”, vá lá “vibrador”; não vai de modas e apresenta-se assim: Coisa enfiada no cu
(De que coisa que tal andará ela à procura?)

Lamentamos não a ter podido ajudar, que a busca só durou o relance de 0 segundos… mas devia ter espreitado a Borboleta sexual, tem sempre muita saída!

domingo, março 18, 2007

Quase um post que tal

Há muito tempo já que não escrevo um post
Que tal.
E era o que eu fazia com mais ligeireza!
Tinha essa natureza
Informal
De tornar de cristal
Qualquer ideia
Sem graça
Nascida da traça
Da mais sentimental
Bebedeira.

Mas ou seja que vou ficando sem ideias
E escasseando as bebedeiras,
Ou que o “ralatório” de estágio
Me tenha sufocado
A imaginação
A qualquer ideia original,
Há muito tempo já que não escrevo um post
Que tal.


”Gui Torga”

Dia de heresia 2

Que faz o Deus que escrevia direito por linhas tortas no infernal mundo dos computadores?
O Seu papel no cosmos jorra duma moderna impressora a laser e escreve torto por linhas direitas, num ficheiro formatado de Word com 2ª demão de sinónimos.

terça-feira, março 13, 2007

2 em 1

Para contrabalançar o último post da Anette (que não pude comentar pois o Blogger continua armado em parvo), ai ai que ainda não estou em mim com o choque … e depois disto teme-se o pior, até ver o dito elefante a andar de bicicleta, tal qual Grande Português messiânico a surgir do nevoeiro… enfim dizia eu, para equilibrar as coisas que tal deixo-vos um sonzinho que é um autêntico 2 em 1 pois traz 2 músicas e 2 grandes mestres do outro lado do Atlântico. Senhoras e Senhores, convosco:

Você Não Entende Nada/Cotidiano – Chico Buarque e Caetano Veloso


domingo, março 11, 2007

Eu fui!


Há lá coisa melhor que nos enfiarmos numa sexta-feira à noite num mar de gente no Campo Piiqueno para ver e ouvir ao vivo durante duas horas ao nosso querido Tony Carreira? Pois que não há e eu adorei!
Não parei um minuot sentada, dancei e cantei que me fartei e de cada vez que ele tirava o casaco também eu fazia "uh uh" como as outras.
"Sonhador, sonhador, mas ao menos a sonhaaaar..."
Obrigada Tony, és o maior. Vamos lá a mais um gritinho: É Tó, é Ny é Tony carreira, é Tó, é Ny, é Tony Carreira.

Observação: Não, não fui em trabalho, fui mesmo em lazer. Ok, não gastei dinheiro no bilhete, mas não sei de daqui para a frente não o farei. Venha de lá agora esse Emanuel no Pavilhão Atlântico.

sexta-feira, março 09, 2007

O tipo nao me convence mesmo

Alguém viu o Rui Reininho na gala dos 50 anos da RTP? Pois eu vi e aconselho a quem não o fez a procurar por tudo visualizar aqueles minutinhos de pura estupidez.
A ideia era ele entrar em palco ao mesmo tempo que passava um vídeo com o Tony de Matos a cantar aquela do “só nós dois é que sabemos” e começar também ele a cantar em palco, acompanhado pela orquestra que lá estava.
Pois o Rui Reininho entrou esbaforido, completamente à toa e a perguntar ao microfone: “já acabou?”.
Não, não acabou, canta homem. O problema é que nem a letra ele sabia e então, sem saber o que fazer, decidiu ir cumprimentar o pianista que, obviamente, nem sequer lhe retribuiu o estender de mão porque – imagine-se – estava a tocar a música que ele deveria estar a cantar.
Às tantas, lá chega a hora do refrão e ele aí mostrou que sabia o que estava a fazer... por pouco tempo. Num grito parvo, canta o final da música sem saber que ainda não era ali que acabava. Teve de repetir o trejeito apoteótico mais à frente e acho que nessa altura todos respiraram de alívio por o número ter acabado. Isto tudo em directo!

sexta-feira, março 02, 2007

Quase um poema de amor

«Há muito tempo já que não escrevo um poema
De amor.
E é o que eu sei fazer com mais delicadeza!
A nossa natureza
Lusitana
Tem essa humana
Graça
Feiticeira
De tornar de cristal
A mais sentimental
E baça
Bebedeira.

Mas ou seja que vou envelhecendo
E ninguém me deseje apaixonado,
Ou que a antiga paixão
Me mantenha calado
O coração
Num íntimo pudor,
Há muito tempo já que não escrevo um poema
De amor.»


Miguel Torga

Dia de heresia

Dizem que Deus não dorme, mas quase podia jurar pelo diabo que Ele, de vez em quando, passa pelas brasas…

quinta-feira, março 01, 2007

terça-feira, fevereiro 27, 2007

(Outro) Dia de escatologia

Ele era um fétichista bizarro que confiava na sorte, habituado que estava a contar com o ovo no cu da galinha.

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Começa a semana

E pronto, sou oficialmente jornalista da TV 7 Dias!

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

Graçola

Para o pessoal que vai tentar pela terceira vez marcar um festival de hip-hop no Pavilhão Atlântico porque ainda não conseguiram vender um número suficiente de bilhetes, uma sugestão: há ali um barzinho no Castelo ideal para fazerem lá o espectáculo. Capacidade? 30 lugares em pé e 10 sentados!!

Ah, Ah! Piadinha boa para esta entrada em mais um fim-de-semana das nossas vidas.

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Finalmente...


...Boas notícias! Irra!

*Ok, eu sei que o tipo se recandidata e ganha aquela merda toda, mas a verdade é que por algum tempo não manda em coisa alguma. Ok, eu sei que ele manda de qualquer forma, mesmo que não tenha lá o gabinete... ok...

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Mais uma...

Uma tipa bateu-me no carro há dias, como acho que tive oportunidade de vos contar neste espaço da blogosesfera. A gaja deu-se como culpada, blá, blá, blá, até aqui tudo bem...
Pois o carro foi para arranjar e fiquei TRÊS dias sem ele. Três!! Ok, a seguradora da outra maluca alugou-me um carro para eu andar, mas quer queiramos quer não é preciso sempre pedir boleia a alguém para ir buscá-lo ao rent a car e para ir entregá-lo. Uma chatice!
Como se isto tudo não fosse já suficiente, o gajo que me entregou o carro alugado era um troglodita mal educado que só ficava bem com uma vassoura enfiada pelo cu acima. (Sim, com esta gentinha tem de ser mesmo assim à bruta). E como se a antipatia não bastasse ainda teve o desplante de me entregar um carro VERDE AZEITONA!! Foi ai que eu pensei: “Mas o que é que eu fiz para merecer isto. Que mais me vai acontecer?”Ainda lhe pedi para me dar um carro de outra cor, mas ele dizia-me que só tinha disponíveis carros com menor cilindrada e que isso não podia ser. Eu bem tentei explicar-lhe que me estava a borrifar para os cavalos e essas tretas, desde que não fosse obrigada a andar TRÊS dias num carro verde azeitona. Nada a fazer!
Ontem fui entregar aquela coisa e hoje de manhã quase chorei ao olhar para o meu lanciazinha todo a brilhar, com a pintura nova, a cheirar a limpo. Ia toda contente a sair da oficina com o meu carro limpo como nunca antes o tinha visto e começa a cair uma daquelas cargas de chuva, com direito a lama e tudo. Não há direito!

Beijinhos e bom fim-de-semana.
*Façam tudo o que quiserem com o DN e com o 24 Horas mas atrevam-se a pôr em qualquer um deles o Alberto João Jardim!

quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Dia de escatologia 3

Há sempre uma boa maneira de quantificar as coisas: "Era um cagalhão deles!"

Dia de escatologia 2

A mais sábia recomendação que se pode dar a um amigo com um problema é mesmo:
“Olha, caga nisso!”

Dia de escatologia

A melhor maneira de rematar uma conversa desinteressante é, quase sempre, um redondo:
“Caguei nessa merda”

É cá uma limpeza…

Àqueles que andam amargurados e angustiados, deprimidos e entupidos, e que julgam necessitar de uma “limpeza espiritual” em suas vidas, eu começava por aconselhar assim… uma feijoada valente!

(claro que os viciados ficam em vantagem se lhe acrescentarem um café e um cigarro…)

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Dia dos Namorados

Aqui menino não entra
Lê-se na Mônica a toda a hora
Hoje nos restaurantes há placas
Com “solteiros ficam de fora!”

Ficam tristes e sozinhos
Sem um ombro p’ra encostar
Sem cabelos p’ra mexer
Sem boca p’ra linguarar

Andam hoje aos caídos
Irritados com os casais
Que andam para aí feitos parvos
Contentes como os pardais

Pois já reservei minha mesa
Em local colado ao rio
Com bebida à fartazana
E comida ao desvario

Como boa namoradeira
Há coisa que não vai faltar
O carro junto ao rio
Todo, todo a abanar!

domingo, fevereiro 11, 2007

Déjà vu… mais non trop!

Já não é a primeira vez que sou convocada a pronunciar-me a voto em referendo popular. Parece que o tema é repetido e nem tem nada que ver com partidos políticos.
Amanhã lá irei depositar na urna o papelito bem dobrado e vincado, e a minha resposta não terá mudado um milímetro. Mas desta vez espero que o resultado seja diferente…

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

I'm a New Blogger now!





Las Meninas (Infanta Margarita)
Pablo Picasso

Dated 14/09/57 on the back
Oil on canvas - 194 x 260 cm
Donated by the artist, 1968

http://www.museupicasso.bcn.es/index.htm

Aceitam-se ajudas para...

... encontrar uma cama que leve com um colchão de 180 por 200 que não seja pirosa até dizer chega e que não custe os olhos da cara;
... descobrir um tema para o casamento que não seja despropositado e que não seja sobre ilhas paradisíacas, nomes de poetas e nomes de flores;
... encontrar um verniz de unhas de cor que ao fim de DOIS!! dias não esteja a estalar;
... convencer a minha directora de que eu valho a pena, de que sou uma mais-valia para a revista e que, por isso, não posso continuar com este ordenado;
... me tratarem de todas as burocracias que tenho penduradas, tais como alteração de moradas que ainda tenho de fazer, entrega do IRS, dar baixa de uns cartões Visa, ir pôr o carro a mudar o óleo, and so on, and so on;
... ter as boxes em DVD de TODAS as séries televisivas que se encontram à venda. Isso mesmo... TODAS!
... para conseguir um esquema de acordar a tempo para poder tomar o meu pequeno-almoço em casa e não vir feita louca pelas curvas da Tapada com um iogurte numa mão e uma sandes de fiambre na outra.

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

Portugal

Não foi uma delícia ver ontem as manobras de diversão do Cristiano Ronaldo, do Quaresma e do Simão?

Os putos não são uma maravilha? Ah, pois são!!

*ok, o Deco também não vai nada mal, mas não é tão engraçado como os outros...

terça-feira, fevereiro 06, 2007

Como os referendos alteram a forma como olhamos os outros e como os outros nos olham

Estamos numa fase em que pouco interessam os nomes próprios das pessoas. Agora ninguém quer saber se eu sou a Ana ou a Paula, querem é saber se sou um "sim" ou um "não".

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Hoje apenas uma mensagem...

... Um Bueno riesto de semania piara tiodos!

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Ai, ai...

Amanhã já é sexta-feira. amanhã já é dia 2 de Fevereiro do ano de 2007. E eu ainda tenho tanta coisa para fazer antes de 2010.

terça-feira, janeiro 30, 2007

Nao se faz, volta Fabio!

Opá... então os totós do Middlesbrough estão armados em parvos e não deixam vir o nosso Fábio Rochemback porquê?

Acham que o banco do Boro fica mais compostinho com a bunda do brasileirinho lá sentada, é isso? Ok, hoje vão pô-lo a jogar, naquela...

Vá lá senhor que manda no clubezeco... ainda faltam algumas horas para fecharem as inscrições. Deixa vir o cu de chumbo para o Sporting, vá láááááá.

sexta-feira, janeiro 26, 2007

Castigos da escola

Esta prosa vem a propósito da notícia do 24 Horas de hoje que denuncia um castigo praticado numa escola do interior sobre os alunos mal comportados. Para quem não leu, quem se porta mal vem para o recreio com um cartaz preso ao peito onde se lê, por exemplo: “Sou agressivo, não tenho o direito de brincar. Estou de castigo”.

Como podem calcular não vou perder muito tempo com esta parte da história que não seja a de defender que aquela professora devia ser imediatamente despedida com um cartaz ao peito a dizer: “Sou parva, não tenho o direito de humilhar. Estou no desemprego.”

Enfim... esta notícia acabou por me fazer regressar aos meus tempos de escola para constatar que nunca fui castigada, ok... à excepção de duas vezes.

Numa delas estava a falar muito durante a aula. Estava para aí na terceira classe e a minha grande paixão era o João Filipe (João se me estás a ler ficas a saber que quem gostava de ti era eu e não aquela parva da Rita com quem escolheste namorar durante a primária INTEIRA!). Como gostava dele, estava a armar-me perante o seu olhar atento e acabei em frente à secretária da professora a levar duas valentes reguadas. Ui, e doeu!

Bom, a segunda foi à hora da refeição. O almoço era carne guisada com massa e eu decidi não comer nada e atirar a carne que tinha no prato para debaixo das mesas corridas em cavalete. No final do almoço, ao desmancharem as mesas as funcionárias repararam nos pedaços de carne espalhados pelo chão (davam para reparar bem porque era aquela carne de vaca que ainda trazia o carimbo roxo por todo o lado, biec). O assunto deu confusão e em cada sala da escolinha, os professores reuniram os seus alunos e perguntaram quem é que tinha feito aquela proeza. No meio de, sei lá, 80 crianças, houve uma que se lembrou de levantar o braço e afirmar bem alto, perante o óbvio silêncio dos restantes: “Eu não fui!”. Ok, lá seguiu o castigo – nada de recreio e mais um prato de carne com massa.

Bom fim-de-semana a todos

quarta-feira, janeiro 24, 2007

segunda-feira, janeiro 22, 2007

Mulheres, ouçam-me!

Este fim-de-semana aconteceu um milagre lá em casa e vim partilhar convosco. Depois de ter pedido a mil quinhentas pessoas como prenda de Natal e nenhuma delas que me ter dado, decidi eu própria comprar as chapas alisantes da Babyliss.
De facto, já me tinham dito que aquilo dava mesmo resultado e que punha os cabelos lisos, lisos. AMIGAS: E não é que o raio da máquina funciona mesmo? Não é que a gente passa aquilo pelo cabelo e ele fica mesmo liso, liso, liso.
Estou tão contente que nem podem imaginar. Só de pensar nas idas ao cabeleireiro que vou riscar da minha agenda e dos mil e um penteados que vou poder desbravar no sossego do meu chalé... Comprem, a sério! Fim aos cabelos esgrenhados!

Notas de início de semana:

- Ri a bom rir com o "Big Brother dos Grandes Portugueses" feito pelos Gato. A participação do brutamontes estava demais!

- Este fim-de-semana foi bem mais produtivo no que se refere a quintas para o casório. Parece que está tudo encaminhado, mas é tudo para manter em segredo.


Boa semana para todos e um beijinho especial para a minha amiga e parceira aqui do blog, Gui.

sexta-feira, janeiro 19, 2007

Insolitos do dia... (desculpem mais uma vez a falta de acentos)

Imaginem uma qualquer loja 5 à Sec. Agora juntem-lhe uma senhora a passar a ferro junto ao vidro que funciona como montra. E agora pespeguem-lhe um velho cá fora a vê-la passar a ferro de braços atrás nas costas como quando se põem a ver as obras ou o futebol numa televisão da loja de electrodomésticos. Haja paciência para quem não tem mais nada para fazer!!

quinta-feira, janeiro 18, 2007

...mas é a única!!

A coisa má das mulheres que me rodeiam terem desatado a engravidar todas ao mesmo tempo, é que as minhas escolhas para nomes de futuros filhos começam a ficar algo limitadas...

quarta-feira, janeiro 17, 2007

A 30%

Hoje acordei a 30% e isso complica-me de imediato o bom andamento do resto do dia.
Tudo terá começado há cerca de uma semana, quando me lembrei que tinha sede e toca de beber uma grande copaneira de água, daquela bem fresquinha que costuma dar o ar da sua graça nos canos de Mafra.
Conhecem aquela senssação de pôr o pé dentro da água ali da Ericeira e parecer que os ossos querem sair fora da carne? Pois foi o que eu senti na garganta.
A coisa ainda se aguentou... vá, um dia! Primeiro veio a rouquidão. Até achei graça porque acho que na minha vida que já leva 29 anos foi a segunda vez que fiquei sem voz. Não tive febre, dormia bem e, por isso, o cenário não estava mau. Os primeiros sinais do que a seguir viria a acontecer aconteceram ontem. Em três alturas diferentes do dia tive ataques de tosse seca absolutamente desesperantes que me deixaram sem conseguir respirar e com os olhos todos cheios de lágrimas.
Mas o que aconteceu durante esta última noite foi indescritível! Era o sono a tentar vingar e a ser sucessivamente interrompido por uma tosse aborrecida e insistente que fez questão de me abrilhantar a madrugada até às oito da manhã, altura em que tive de me levantar. Durante esta maratona, devo ter comido para aí uns 25 rebuçados Halls e ter posto no peito para aí uns 4 metros de Vicks.
Hoje acordei a 30% porque ainda tenho tosse, estou cheia de sono e muito trabalho pela frente.

Que este dia passe depressa e que esta noite consiga dormir dez minutos seguidos sem um cof cof que seja!

segunda-feira, janeiro 15, 2007

Começou a saga...

Então não é que passei o sábado inteirinho a ver quintas para casamentos e fiquei deprimida?
Porque é que têm de ter sempre carroças e repuxos? Porque é que as cadeiras têm de ser sempre brancas com um lençol por cima e um laço enorme nas costas?
Porque é que numa das quintas o vendedor teimava em repetir que os empregados entravam na sala sempre "perfiladinhos" (era o termo que o senhor usava). Que me interessa a mim que eles entrem "perfiladinhos"?
Porque é que insistem nas decorações em organza e nos marcadores de casquinha? Porque é que a mesa dos noivos é sempre sob o comprido e virada para o resto da sala como se estivéssemos na jaula dos gorilas?
Porque é que eu não posso reinventar tudo e pagar e pronto? E ser feliz?

Calma noivo, a esperança ainda não morreu e temos mais visitas para fazer. (Isto sou eu num processo de auto-mentalização de que daqui até lá tudo vai correr bem!)

domingo, janeiro 14, 2007

Carta para a Leonor no dia em que faz 22 anos

«Só tem valor o que não se pode comprar. Podem-se comprar pêssegos mas não podemos comprar o pessegueiro em flor no campo em que floresce. Isto não tem a ver com o dinheiro. Pode-se dar dinheiro por coisas que têm valor. Uma fotografia, por exemplo, tem um custo, mas o seu valor está onde ela não está, de mistura com o sonho que nos agarra quando a vemos. É também assim o amor.
É sempre preciso voltar à banalidade das coisas. O espírito é só o contraste que revela. Somos pesados como a água e leves como o vento. Não paramos de passar. E o mistério das coisas não está nelas, nem em nós. O mistério existe e é tudo. E se quisermos saber tudo ficamos logo cegos. A bondade é o que há de mais belo, Leonor, e não se sabe o que é. É urgente que aprendas a viajar.
E não voltamos nunca. E vamos acabar. O que nos espera não espera por nós. Ficaremos cansados de qualquer maneira, e não há nada a fazer e isso já o sabíamos no começo e no fim não nos podemos queixar. E no entanto vale a pena este lugar, este tempo, esta vida que é um erro. Vale a pena esperar, não esquecer o que nunca está presente. Vamos indo, aos poucos, a um encontro secreto. Leonor, não tenhas medo.
A maldade turva o olhar, não o dos outros mas o nosso. Não é preciso ter em conta as consequências, é no próprio fazer que a culpa se mede. Olha para os teus olhos antes de olhares para os dos outros. O que os teus olhos vêem vem da luz que tens em ti. Foge do escuro, foge. Foge sobretudo das sombras do teu olhar. O mais precioso, por mais ténue, vale mais do que tudo o resto, mesmo sem existir. Todo o tempo é precioso. Dorme menos.
Não vale a pena dormir com um homem com quem se dorme. O prazer vem só com o que acompanha da melhor maneira. De resto está só em passar e não há caixa em que se guarde que depois se possa oferecer. Só o longo trabalho salva. E o amor precisa de mais cuidados que um jardim. Todos os dias é preciso regar o nosso amor. E podar os ramos mortos. Trabalhemos pois, Leonor, que o amor requer trabalho e o trabalho precisa de amor.
Nunca saberemos o que nos une. Nem o que nos separa. Foi sempre assim. É essa a pequena grandeza que nos distingue. Só nisso somos todos iguais. O homem do lixo vale mais que eu. A ideia que temos do que somos ou seremos é uma luz incerta. O mais das vezes enganamo-nos. Mais ainda quando julgamos acertar, felizmente. Temos sempre de recomeçar e é nisso que somos eternos. Louvemos pois o que nos separa e nos une, isso mesmo a que é preciso não desagradar.
E quando o corpo cansa e a alma entristece não faças caso. De vez em quando o mundo também precisa de descansar. Admira as árvores e a sua indiferença por ti. Não queiras ser o centro de nada. À tua volta descobre o que não és. A frivolidade gasta a alma numa inútil correria. Sê humilde e sensata. Se for preciso torna-te pesada como uma pedra que, embora pisada, não se levanta contra ninguém. E se for preciso sê como o chicote que corta, doce e alegre Leonor.»

Pedro Paixão in Vida de Adulto

sábado, janeiro 13, 2007

Feriados que tal


- Então pá, 'tás bem? Esse Natal?

- Olha, passou-se… e o teu?

- Foi fixe… prendas à maneira, uns quilinhos a mais, sabes como é…

- E na passagem de ano? Foste para onde?

- Fiquei por cá, isto anda mau pá, não se pode gastar muito…

- Eu também, arruinei-me com as prendas de Natal. Tenho é de começar a pensar no Carnaval…

- Então?

- Então, para não deixar as cenas para a última.

sexta-feira, janeiro 12, 2007

Estômago: Proibida a entrada a maiores de 150 Kcal.

RAP

Eu já lhe achava graça e já lhe tinha topado a capacidade intelectual para ir mais além do que dizer simplesmente que gosta disto e não gosta daquilo. Mas ontem, na Grande Entrevista com Judite de Sousa, o Ricardo Araújo Pereira arrebatou a minha total entrega e admiração.
Ele sabe do que fala e era capaz de ficar a ouvi-lo naquele registo menos “palerma” durante horas e horas. Pena é que no lado feminino não haja por aí um protótipo semelhante para estarmos – nós mulheres – tão bem representadas como eles estão neste momento. Ok, temos a Joana Amaral Dias que também é gira e inteligente... mas falta-lhe aquela graça!

quinta-feira, janeiro 11, 2007

Quem és tu de novo? *

«Quando a janela se fecha
E se transforma num ovo
Ou se desfaz em estilhaços
De céu azul e magenta
E o meu olhar tem razões
Que o coração não frequenta
Por favor diz-me quem
És tu de novo

Quando o teu cheiro me leva
Às esquinas do vislumbre
E toda a verdade em ti
É coisa incerta e tão vasta
Quem sou eu para negar
Que a tua presença me arrasta
Quem és tu na imensidão
Do deslumbre

As redes são passageiras
Arquitecturas da fuga
De toda a água que corre
De todo o vento que passa
Quando uma teia se rasga
Ergo à lua a minha taça
E vejo nascer no espelho
Mais uma ruga

Quando o tecto se escancara
E se confunde com a lua
A apontar-me o caminho melhor
Do que qualquer estrela
Ninguém me faz duvidar
Que foste sempre a mais bela
Por favor diz-me que és
Alguém de novo»


* ... já que hoje (e sempre) estamos numa de Jorge Palma!