Visitas

terça-feira, outubro 17, 2006

Não deixe as notícias sujar a rua

Não sou contra a distribuição gratuita de jornais nos transportes públicos. Aplaudo o seu aparecimento que pôs muita a gente a ler as notícias logo pela manhã, ao invés de irem a dormitar, a roer as unhas ou a apreciar o penteado da vizinha do lado. Claro que há quem se agarre de imediato e furiosamente ao Sudoku ou ao horóscopo do dia, e quem questione o formato reduzido em que as notícias são apresentadas, a contrastar com a abundância de publicidade. Mas passando por cima destes pormenores, continuo a achar positivo o seu aparecimento e sou leitora do Metro e do Destak, mais leves que um livro e com informação que se assimila em poucos minutos (o ideal para as 4 viagens de curta duração que faço por dia). O que me entristece, e não é preciso esperar pelo final da tarde, é o volume de lixo gerado por estes jornais gratuitos. Como são de borla as pessoas abandonam-nos em qualquer lado, chegando a pegar noutro exemplar igual umas horas depois. É ver carruagens pejadas de folhas, entradas de estações de metro e plataformas de comboio com bocados de jornais a voar, tal qual a queda da folha outonal. Não vejo isto acontecer com as publicações periódicas que são pagas, por isso deixo a sugestão duma campanha aos leitores, com frases deste género, impressas em letras garrafais:
Este jornal é gratuito mas não é poluidor.
É para ler nos transportes, mas não é para deixar nos transportes.
Não deixe as notícias sujar a rua.

7 comentários:

Anónimo disse...

Concordo! Adivinha quem escreveu!...

Anónimo disse...

Era só um teste. Cocordo Gui, um pouco mais de civismo não fica mal a ninguém.

Anette disse...

É o despojo por aquilo que não nos custou aboslutamente nada a ganhar.

Aisling disse...

Tens razão... Eu levo-os para casa e depois vão para a reciclagem. Acho que não custa muito. Na estação do Cais Sodré é ver Metros e Destaks aos caídos por todo o lado. Falta de civismo e de educação.

Gui disse...

Então e não é que hoje, só para contrariar a minha teoria, vi uma mulher a abandonar o Público no banco do comboio? será que esta doença tb já chegou aos jornais pagos? ah e tal, estou com tanta pressa, esta é a minha paragem, olha o jornal ficou no banco, oops...
haja dó!!

Carrie disse...

lol concordo e podes sempre deixar esse comentario em leitor@destak.pt gui, eles publicam, trust me ;)

Ricardo Paiva disse...

È isso e dejectos caninos, é tudo uma questão de educação que este país ainda tem pouca, foram 40 anos de ditadura e 30 de liberdade ainda jovem, além de 18 governos.
Outra questão é a do tratamento e separação dos lixos, que esta a começar de ser feita, mas como ainda não se reflecte nas contas da água e do SMAS, as pessoas agem intrisecamente por revange, é este o nosso Portugal.