Visitas

segunda-feira, fevereiro 28, 2005

Os tapetes de Platão

Existiu na Grécia Antiga uma corrente filosófica denominada a escola dos cínicos, cujos seguidores desprezavam toda a espécie de convenção social. Levavam uma vida errante, sem tecto e sem higiene, tendo por hábito troçar de tudo e atormentar os transeuntes com as suas censuras.
Foram contemporâneos de Platão, que, sendo um homem extremamente rico, não se coibia de ostentar a sua fortuna. Oferecia lautos banquetes a hordas de convidados, onde aproveitava para exibir as suas riquezas.
Um dia Antístenes, o chefe dos cínicos, e também ele um discípulo de Sócrates, decidiu aparecer numa destas festas sem ser convidado. Estava nu, imundo dos cabelos às unhas, e numa atitude provocatória começou a arrastar os pés pelos magnificentes persas que davam as boas vindas aos convivas, proferindo a seguinte frase:
- Estou a limpar os meus pés à vaidade de Platão.
Ao que Platão retorquiu:
- Não, tu estás é a limpar a tua vaidade aos meus tapetes.

1 comentário:

Gui disse...

Abram alas ao provérbio:

- Pés quentes, cabeça fria, cu aberto, boa urina, merda para a medicina.