Visitas

quinta-feira, abril 14, 2005

Regras de trânsito para peões

Agora que finalmente me inscrevi na carta de condução e sei que vou ter de aprender um monte de regras novas de circulação, tenho pensado bastante no porquê da enorme sinistralidade nas estradas portuguesas. E se eu vou ter que saber as leis na ponta da língua para poder passar no exame de código, assim aconteceu com todos os condutores. O problema português, penso eu, deve-se não ao desconhecimento das regras mas sim ao desrespeito pelo semelhante, à falta de civismo deste povo. Porque as pessoas não cumprem os princípios mais elementares de educação para bem viver em sociedade. Recordo então modelos bem simples e que não são cumpridos muitas vezes no dia-a-dia. A saber:
1) Escarrar no passeio é nojento, da mesma forma que, quando se está "indoors" é desagradável sentir os barulhos da gosma dos outros pronta a explodir.
2) Na rua também se atravessa pela esquerda, assim como nas passadeiras e escadas rolantes, sem entupir a passagem dos outros e sem encontrões nem sacos a bater nas pernas.
3) Poluição sonora é evitável. Nesta categoria incluem-se as pessoas que berram ao telemóvel e as que (des)conversam aos gritos incomodando os outros passageiros (excluem-se as crianças a sair em bando da escola, mas só até ao secundário).
4) Banho é essencial. A lavagem assídua da roupa também. É muito chato ter que levar com o mau odor e a caspa dos outros.
5) Nos transportes quando se abre uma porta primeiro saiem os passageiros que o desejarem e só depois entram os outros que estão estacionados na gare.
6) As unhas dos pés e das mãos cortam-se em casa. Também a maquilhagem se faz na casa de banho assim como a depilação das sobrancelhas. Os macacos deverão permanecer no nariz até estarmos sozinhos.
7) O lixo guarda-se para deitar no próximo caixote. (excepção para as beatas que não se podem guardar no bolso ou na mala, com o risco de se poder comprometer o ponto nº 4).
8) Os transportes públicos não se chamam públicos à toa. O espaço não é todo nosso, senão chamar-se-iam privados.
9) A palavra "outros" aparece em quase todos os pontos. Porque não vivemos sozinhos....

2 comentários:

sergonov disse...

Eu por acaso não penso que nós (portugas) sejamos piores que os outros povos na condução, acho é que temos piores condições. Reparem que maior parte das mortes acontecem nas chamadas estradas nacionais e não nas auto-estradas onde os policias fazem caça a multa , cá ao lado os espanhóis têm estradas nacionais que parecem as nossas auto-estradas!!!
No ano que acabaram a auto-estrada para o Algarve baixou o numero de mortes para menos de metade... nesse percurso pensem nisso será que somos tão maus assim...! E a falta de civismo que existe claro muitas vezes é originada pela falta de condições ...!

Assunção Guedes disse...

4.1) o não uso do desodorizante após o banho compromete a possibilidade de co-existência da população nos ditos transportes não-privados. Saliento a importância desta, que por várias vezes deixou a desejar o meu bem estar e integridade física.