Visitas

quinta-feira, fevereiro 09, 2012

Cadê esta menina?



Como já referi aqui algumas vezes tenho um problema com a cebola. Não posso senti-la, o que é um drama tendo em conta que qualquer coisinha que se faça fica bem com "um refogadinho". A solução que encontrei há muitos anos para não ter de andar sempre a passar cebola é fazer quase tudo com sopa de tomate instantânea. Carnes à bolonhesa, frango com massa, chili, arroz de tomate... tudo é feito com a bela sopa. Junto um pouco de pó à água e siga em frente com tudo para dentro do tacho. E a minha vida corria fluida e feliz desta maneira, até há uns meses para cá. Pois esta sopa desapareceu por completo das prateleiras dos supermercados, pelo menos dos da minha terra. Não a encontro em lado algum e cá em casa as opções de refeições estão mesmo muito limitadas. O que será que aconteceu a esta menina? Será que já só eu andava a comprá-la? Será que descobriram um componente maluco que fazia mal às pessoas? (isso por acaso explicava muita coisa que se passa diariamente no meu organismo). Será que estão a melhorá-la para um sabor ainda mais delicioso? Epá, a Knorr que nem pense em matá-la, que eu morro também, de tristeza.

Já arranjei um fato de Carnaval para o Rodrigo, mas como custou 4,90 euros não vos sei bem dizer que máscara é. É indefinida, a vida de pobre. Quando experimentei a parte de cima, o puto desatou-me num berreiro enorme. Olha se que tinha gasto os 25 euros de uns bichos que amei na Prenatal? Não existem arrependimentos na vida de pobre. E fazemos a festa e somos felizes.

7 comentários:

Teresa disse...

Ja somos duas a nao gostar de sentir a cebola! Eu faço o seguinte,corto-a e passo-a no robot de cozinha,uso a que preciso,o resto guardo nas cuvetes de gelo(tenho uma para o efeito),depois e so por nos refogados ,sopas o que quizer,e optimo,nao se sente e desfaz rapidamente!(Peço desculpa pela falta dos acentos,mas nao estou a conseguir por,nunca me tinha acontecido)Espero ter ajudado

Mel disse...

Bom dia,
Os pequenitos, nessa idade, não apreciam muito as fantasias de carnaval, têm até medo. Por isso, se for o caso, não insista. Com os meus filhos, e em especial com o meu Rodrigo, com PEA, nunca insisti: vestia-os normalmente e colocava-lhes um pequeno adereço, tipo um cinto de cowboy, com um lenço no pescoço, uma espada de plástico, etc. Tudo na medida em que eles podiam aceitar (o meu Rodrigo gostou muito de um fato de bombeiro: eram calças e casaco, algo que para ele era uma coisa normal e, durante 2 ou 3 anos, foi essa a fantasia). Tente algo que não o assuste, algo bem basico.
Um abraço.

Anette disse...

Vou experimentar Teresa.
Mel, a fatiota é mesmo muito simples, calças verdes e um colete com três bolinhas coloridas à frente. Mas se houver choradeira não vou insistir. Mel, mande-me um mail com o seu endereço, gostava de fazer-lhe algumas perguntas sobre o Rodrigo, pode ser?

anagomoli@gmail.com

sofia disse...

Se precisares de ajuda vai ao levedar.


Www.levedar.com

J. disse...

acho que vou experimentar porque também não gosto muito de sentir o sabor intenso da cebola.

Fernanda Loureiro disse...

Olá!
vi muitas no Continente do Colombo!!
Beijinhos

Anónimo disse...

É a primeira vez que leio o seu blog, mas não resisti comentar.
Como gosto muito de cozinhar lembrei-me logo que no Lidl existe uns frascos de polpa de tomate com cebola e alho, são saborosos e práticos. Espero ter ajudado.
Bjs.