Visitas

quarta-feira, junho 27, 2012

Eu bem tento contrariar...

...mas estou tão deprê. Ainda pensei duas vezes se hoje viria postar alguma coisa, tal é a energia negativa, mas caramba, isto também tem de ser para os maus momentos, como nos casamentos. E a verdade é que ninguém tem vidas perfeitas. A minha não é.
Por um lado, saber que estou com um pé fora do emprego, mas ter de continuar a ir, a trabalhar, a dar o litro, a aborrecer-me e a decidir num projecto que sinto que já não é o meu, que já não me pertence, até que a burocracia fique toda tratada. Sei que estou no despedimento colectivo e o raio da carta que me permite avançar com tudo e seguir a minha vida não chega ao correio. E isto aborrece-me, ando enervada.
Por outro lado, é o Rodrigo, que anda super irritável, voltou àquelas coisas de me bater, morder, espernear, atirar-se para o chão, não me deixar mudar-lhe a fralda, dar banho... Enfim, mal acorda começa a fazer birras na cama sem eu perceber o porquê. E isso angustia-me. Quero que ele seja feliz, que ande a rir, e que não ande neste disparate de se enervar até com o meu respirar.
E por isto estou assim em baixo, a tentar animar-me e desejosa que cheguem os melhores dias. Eles vão chegar.

13 comentários:

Maggie disse...

Claro que vão chegar.
Eu desejo mta sorte para o futuro.

Bjos
Maggie

Anónimo disse...

Claro que melhores dias virão, afinal, quando se fecha uma porta abre-se uma janela, não é?
Se calhar o Rodrigo também se apercebe do teu estado de animo, ou melhor, desanimo e isso faz com que ele fique assim irritado. Tens que fazer um esforço e pensar positivo, eu sei que é dificil e que estou para aqui a falar mas que não estou nelas mas pfv tenta pq não gosto de vir aqui e ver-te assim. Força!
Beijinhos
Cati

Rita disse...

Claro que melhores dias vão chegar. Tenta manter a calma.

Beijinho

Anónimo disse...

Vida lixada, prega cada partida e depois parece que vem tudo ao mesmo tempo. O filhote também é capaz de estar assim porque sente a mae enervada. É dificil conseguir manter boa disposição depois da perca do emprego.
Mas é viver um dia de cada vez e o amanhão será melhor.
Força
Nanda

Aline Brito Paiva disse...

vão chegar, sim, temos que acreditar.
Isso do despedimento coletivo é terrível, mas vá pensando naquilo que sempre quis e acha que tem jeito para fazer.
É nas crises que vemos e temos possíveis janelas de oportunidades.
quanto ao rodrigo... muita paciencia.
Os miudos sugam-nos a energia e parece que sabem quando estamos piores.
Força!
Melhores dias virão!

Blog da Pip disse...

Como mãe e porque os nossos meninos têm a mesma idade, e porque também fui alvo de despedimento coletivo, só posso lamentar. Eles sentem quando estamos tristes e acho que a maneira de demonstrarem é fazendo birras e mais birras onde estamos (nós mães) sempre incluídas. Melhores dias virão. BOA SORTE!!! :))

A Menina dos Louboutin disse...

Melhores dias virão, é mesmo esse o pensamento. Estou a torcer para que cheguem depressa!!

SMS disse...

Vai tudo melhorar, claro que vai! Não há mal que sempre dure, caramba.
É uma fase. Mas a seguir vais apreciar e desfrutar do momento.
Eu acredito! Acredita também!
Beijo grande. E estou atenta.

Muxy-Muxy disse...

Olá, espero que melhore rápido e que haja uma contra-corrente qualquer tipo el nino que permita que este fado passe rapidamente a canção feliz. Mas deixe-me dizer-lhe que enquanto mãe e pediatra a admiro imenso pela forma como conta aqui a sua aventura com o Rodrigo. Li toda a descrição da história do seu filho desde a prematuridade até ao diagnóstico mais recente. O que aqui se lê é amor no seu estado mais puro, é coragem, é dedicação, é força. É uma mulher notável e isso precisa de ser dito.
Um grande bem haja
Muxy

Juanna disse...

Não serve de nada mas mesmo nada, mas deixo cá mais um caldo de galinha: vai melhorar. Prometo :)

Anónimo disse...

Fica um abraço.Cá em casa passamos por essa moda do despedimento coletivo á 9 meses...não é fácil.ânimo, de certeza que melhores dias virão.David

Fernanda Loureiro disse...

É preciso muita força de vontade, e não desanimar. É fácil falar, mas temos de ir buscar forças ao fim do mundo!
Um beijinho grande, muita coragem nesta nova fase e sempre em mente que o Rodrigo merece tudo, para ajudar a lutar :)

Juanna disse...

Anette, a minha filha deu-me o primeiro beijo tinha quase 2 anos. Esperneava, gritava, chorava e batia o dia inteiro. Era uma criança horrível. Foi mudando (tem quase 3) e agora sinto-me mais capaz, mais mãe.