Visitas

sexta-feira, março 30, 2012

Então... a ver

Já recebemos o plano de intervenção precoce por parte da equipa de Mafra e a nós, pais cabe-nos, entre outras coisas:

- conferir-lhe mais autonomia na alimentação. O Rodrigo precisa de comer mais vezes sólidos e sozinho;

- vamos ter de fotografar os brinquedos preferidos dele e outras coisas que ele habitualmente pede puxando-nos o braço para sermos nós a dar-lhe, para fazermos uns cartões e habituá-lo a que nos mostre a figura correspondente quando nos quer pedir algo. Enquanto não verbaliza será essa a sua forma de comunicação;

- nas birras ter maior firmeza. Não, é não, mesmo que grite, chore e esperneie;

- fazer com que adormeça na cama. Sugestão: tirarmos-lhe a cama de grades e passar para uma cama à "crescido", junto ao chão, e sentar-me perto dele enquanto adormece. (glup).


Não vai ser fácil, mas temos de fazê-lo. O Rodrigo esteve entretanto constipado e tem estado muito irritado. Apesar de já estar melhor, começou com umas birras mesmo muito intensas, onde perde por completo o controlo, batendo em quem aparece à frente e agredindo-se a ele mesmo, mas sem grandes danos. Na maioria das vezes são birras que vêm um pouco do nada, apesar de acreditar que ele lá terá as suas razões. As reacções sociais perante estranhos melhoraram substancialmente, mas a área comportamental é agora a que mais me preocupa, com estes "ataques" espontâneos que chegam a assustar-me.

No início de Abril terá consulta com a psicóloga e terei de pedir-lhe a avaliação nesta área. Para já, é ter muita paciência, ter força para controlá-lo e não deixar que se magoe. Ah, e aproveitar os sorrisos e as festinhas que me dá quando tudo fica mais calmo.

6 comentários:

Anónimo disse...

Olá,

Já agora deixo aqui um outro livro que também fala sobre autismo, e é de uma pedopsiquiatra e de uma psicóloga clínica que trabalharam durante anos na Clínica da Encarnação, Departamento de Pedopsiquiatria, Hospital D. Estefânia. O livro chama-se Por detrás do Espelho e fala de dois casos específicos que foram acompanhados durante muitos anos. http://www.fnac.pt/Por-Detras-do-Espelho-Maria-Jose-Vidiga/a364592?PID=5&Mn=-1&Mu=-13&Ra=-1&To=0&Nu=1&Fr=0

Sem querer desvalorizar, vai perceber com o tempo, que há várias formas de olhar para o autismo e de intervir. Aconselhe-se, oiça várias opiniões, siga a sua intuição e procure os melhores!
Ainda bem que tudo correu bem com o Dr Pedro Caldeira da Silva. Bate qualquer pediatra de desenvolvimento, isso posso garantir-lhe. Este tipo de problemática, tem de ser abordado por um PEDOPSIQUIATRA e não por um pediatra. O máximo que os pediatras do desenvolvimento fazem, é reconhecer os sinais, perceber que algo não está bem, ter alguma sensibilidade no acompanhamento pediátrico destas situações e encaminhar para um colega da especialidade.

Força nesta caminhada, e vai tudo correr pelo melhor, pois já está a procurar ajuda e já estão a intervir junto do seu filho o mais precocemente possível!

Rita

Anónimo disse...

Bom dia!
O meu filhote dorme num colchão no chão desde que tem um ano e meio e sempre gostou pois entra e sai da cama como quer sem nunca se magoar. Agora, passados dois anos vai mudar para uma cama a sério (que está no quarto desde o inicio), com barreira protetora pois já consegue entrar e sair sem ajuda. Ainda hoje adormece com um de nós ao lado depois de uma história ou uma música cantada por nós....boa sorte e com um pouco de paciência vai correr bem de certeza!
Ana

Maria disse...

Essa cama vai fazer maravilhas. Aposto contigo :)
Aqui em casa nem houve cama de grades, foi do berço para uma cama dessas (mas baixinha, perto do chão). E assim a mãe senta-se por ali, até no chão!, e do colo passas para o encosto e do encosto para mão e da mão para a presença e da presença para a independência. E tem a vantagem de ser acessível para ele. Passa a senti-la como um espaço que ele pode ocupar quando quer e não só quando tem mesmo de ser.

HOPE disse...

O meu filho tem quase 6 anos e continuo a deitar-me ao lado dele e a abraça-lo até adormecer. Nunca fui capaz de o deixar chorar! Passou da cama de grades para a cama normal, baixinha e com protecções. No inicio demorava a adormecer, mas com o tempo habituou-se! Hoje sao só 5 minutos ;)

Rita disse...

assino por baixo em relaçao à cama. o pedro atirou-s da cama de grades abaixo e foi uma coisa forçada quando fez 2 anos. agora adormece sempre lá, fico lá até adormecer. a maioria das xs fica lá e há alturas em que nos visita no quarto e até fica lá. mas nunca vai antes da madrugada e estou em crer que um dia deixará de o fazer :) quanto às birras, estou solidária. este tem 2 anos e meio e atira-s para o chao no meio da rua. em casa atira as coisas, tenta bater.nos e bate nele e nós tentamos sempre ignorar... tarefa complicada! tudo a correr bem :)

Ovelha, Flor, Guerreira disse...

Já passei por isso! Foi muito difícil, mas hoje a minha menina leva uma vida perfeitamente comum! Já lá vão 3 anos!