Visitas

segunda-feira, maio 18, 2009

Carta aberta

Familiares e amigos de Jorge Jesus,

digam-lhe, sem medos, que a cabeleireira que lhe garantiu que aquelas madeixas iam ficar muito naturais, o enganou redondamente.
Aconselhem-no, sem rodeios, a tratar do assunto de forma frontal, nem que para isso seja preciso pintar o cabelo todo de preto-asa-de-corvo.
Aquelas manchas pretas meticulosamente alinhadas ao longo da cabeleira são ridículas e fazem lembrar a Maria José Valério se esta fosse homem e apoiante da Académica.

Sem mais, (pena não ter conseguido foto)

1 comentário:

Maria Papoila disse...

Muito bom! Gosto do espírito ;)