Visitas

terça-feira, janeiro 20, 2009

Com todo o respeito

Há pessoas que deviam ser proibidas de ir a velórios e a funerais.
-Ó filha, tens de ter força.
-Sim, eu sei. Quando cheguei ao hospital ela já nem me viu.
-Viu, sim filha, ela viu-te.
-Não. Ela já estava morta quando cheguei lá.
-Ela viu-te filha - e as mãos a agarrar as da chorosa e a chorosa a levantar o olhar em direcção aos dela para tentar perceber que parte da conversa ela não tinha percebido.
-Ela viu-te filha... e está a ver-te agora. Ela está a ver.
Argh! Detesto gente que tenta angariar fiéis nas alturas mais impróprias.

3 comentários:

GHAFA disse...

eu prometi a mim mesma que não ia a funerais... já há uns aninhos... chamem-me fraca mas por me armar em forte... não fiquei bem!

mas o que dizes tem razão... é como o pai natal e o coelhinho da pascoa

Bruno Henriques da Silva disse...

Não vejo nada de chocante nesta convresa. São convresas normais em velórios e afins. As pessoas, em especial as mais velhas, ligam muito à relegião.

Vap disse...

Concordo com o Bruno.
E essa de não ir a velórios, também não me convence.
Também não tem que convencer, é certo.
Mas quem gosta de ir a velórios?
Ninguém!
Mas é nesses momentos que as pessoas dão valor à presença dos amigos e familiares.
Estar presente só nas festas, não é nada.
Da vida também fazem parte os maus momentos.
E é um conforto para a família acreditar que ali não está o fim...
Esperemos!