Visitas

domingo, janeiro 08, 2006

Os minutos de silêncio

Quem é que terá inventado o minuto de silêncio? A coisa deve ter sido mais ou menos assim: Fulano tal faleceu. "ÓManel diz aí umas palavritas." "Eu? não sei muito bem o que hei-de dizer. Fernando avança tu, é melhor." "É melhor? Então mas eu conheci-o uma semana antes de morrer!!". "Pronto, pronto, já sei, ninguém diz nada. Está o assunto arrumado".

Ontem, ao início de mais um jogo de basquet, um dos árbitros (esse grande larilas) anunciou-nos: "Atenção, vamos fazer meio minuto de silêncio". E eu arregalei-lhe logo os olhos com vontade de dizer: "Não faço!". Então não é?! Dizem-nos para ficarmos caladas e nós temos de ficar?? Mas por que carga de água? Quem é que morreu? Nem sei quem é que faleceu, vou pensar em quê?
Vá lá que já não era um minuto de silêncio, pelos vistos agora há a versão do meio minuto. Daqui a alguns anos é que vai ser bom. "Atenção, vamos fazer um segundo de silêncio... muito bem, quem é que vai buscar as jolas?".

Bom, certo certo é que cobardolas como só eu sou lá fiz a porcaria do meio minuto de silêncio em homenagem nem sei a quem. Mas para aí aos vinte segundos não aguentei e em sinal de protesto por estar a ser obrigada a calar-me ainda fiz um 'hrrum hrrum' de garganta.

É que nem eu nem ninguém naquele pavilhão sabia quem é que estava a merecer tal silêncio. Ou seja, aqueles trinta segundos tornam-se na coisa mais absurda que alguém jamais viu. Todos calados, com um ar muito sentido a olhar para o chão, mãos atrás das costas e depois em cada cabecinha, pensamentos diferentes: "Tenho de engraxar estas botas"; "Até me dói o rabo de ontem à noite"; ou, "a seguir a isto tenho de ir comprar uns bifes de perú".

A mim, nestas ocasiões, acontece-me sempre o mesmo."Epá, acho que estou com vontade de fazer chichi". Um pensamento já habitual quando, em pequena, no jogo das escondidas ficava ali tempos e tempos quieta à espera da melhor altura para salvar toda a gente e poder, finalmente, fazer chichi em paz.

10 comentários:

Guedes disse...

Meio minuto? O gajo morreu ou ainda estava em coma?

sergonov disse...

eheheh ou era Anão?

sergonov disse...

E agora essa nova moda nos minutos de silencio, onde começa tudo a bater palmas até tenho medo de imaginar o que farão no minuto de palmas eheheh

sergonov disse...

Já agora por mim e se quiserem dar-se a esse trabalho podem fazer o minuto da jola!
Um minuto a beber jolas, parece bem!

Ana disse...

Sempre tem mais significado do que uma cambada de marmelos sem dizer nada ou sim, é verdade, a bater palmas.

Guedes: Entretanto já soube que foi um jornalista desportivo que morreu. Neste fim-de-semana, antes de todos os jogos de basquet fez-se meio minuto de silêncio. Trinta segundos.

Ana disse...

Sempre tem mais significado do que uma cambada de marmelos sem dizer nada ou sim, é verdade, a bater palmas.

Guedes: Entretanto já soube que foi um jornalista desportivo que morreu. Neste fim-de-semana, antes de todos os jogos de basquet fez-se meio minuto de silêncio. Trinta segundos.

sergonov disse...

E o porquê dos 30 segundos em vez do minuto? Sempre era anão?

Guedes disse...

Meio minuto? 30 segundos? Mas os jornalistas são cidadãos de segunda para terem direito a metade do tempo tradicionalmente convencionado para pensar em quem morre...

QZ disse...

Bom ainda bem que é 1min de silêncio, já viste se fossem 22,5minutos ao pé-coxinho sem trocar de pé, e para quem trocasse de pé tinha que fazer 22 pinos uma roda e 3 mortais encarpados à recta guarda?! já viste a sorte que tens melhér!

Jubi disse...

Secalhar foi o cão de alguém da federação.