Visitas

segunda-feira, setembro 19, 2011

A creche

(As férias foram óptimas. O Rodrigo divertiu-se imenso nas poças de água e na piscina e eu e o Zé, fazendo turnos ou na altura da sesta, conseguimos descansar e apanhar os nossos maravilhosos banhos de sol)

E pronto. Já tenho o puto charila na creche. Para início de conversa, contar que logo no segundo dia descobri que conseguia ver lá muito ao longe a sala do Rodrigo da minha casa. Então, a parva toca de ir correr todas as lojas dos chineses de Mafra para comprar uns binóculos. Os mais baratos não aproximavam nada e os mais caros eram mesmo muito caros para a parvoíce pegada que estava prestes a fazer. Enfim, nem é bem uma parvoíce. A verdade é que morro de curiosidade por saber o que anda ele a fazer todo o dia na creche, como brinca com os outros meninos, que sons faz, como come, como adormece... Convidavam-me para estar uma manhã inteira ali a vê-lo e eu era a mãe mais feliz do Mundo. Na realidade, acho que não era totalmente descabido arranjarem umas salinhas com vidros foscos onde os pais poderiam permanecer a ver as suas crias na escola, como há nos hospitais durante aquelas cirurgias a que os estudantes assistem. Ah, e no quarto dia fui apanhada a dar voltas à creche de carro para conseguir espreitar para dentro da sala enquanto passava. Não consegui ver o Rodrigo à primeira, não consegui à segunda, e à terceira, fui “apanhada” pela auxiliar Ofélia que me gritou do outro lado da grade com o polegar esticado: “Ele está bem mãe, ele está bem”. Xina pá, que vergonha, só me apetecia esconder num buraco. Isto de estar de férias na semana em que o filho se estreia na creche só dá mesmo merda. E isto de ele chorar todas as manhãs como se o estivesse a deixar no matadouro também dá cabo de nós. Mais, chegar ao final da manhã ou ao final do dia e dar com ele no mesmo pranto é de cortar o coração.
A adaptação está a ser complicada e o Rodrigo, em apenas uma semana de creche, mudou bastante. Mas confio bastante nas técnicas e na instituição para saber que ele vai ficar bem daqui a uns tempos... lá para Janeiro, digo eu. A ver essas mudanças: tornou-se meigo e afectuoso, ou seja, fica tão contente de estar com os pais que dá valor a isso e manifesta-o; está visivelmente mais irritadiço, faz birras por tudo e por nada; as manhãs passaram a ser muito complicadas para ele e acorda logo a fazer beicinho, mal vê a mochila da escola desata num pranto; agora, sai sempre de casa a chorar, com medo do destino ser a creche; está muito mais desconfiado de estranhos e perante eles recusa-se a andar pelo seu próprio pé; se vê, por exemplo, duas pessoas a caminharem na sua direcção, pede-me colo de imediato a pensar que o vão levar; adormece muito rapidamente.

Apesar de ainda ficar muito choroso durante todo o tempo que passa na creche, o Rodrigo come muito bem desde o primeiro dia lá e, imagine-se, adormece sozinho na cama, sem colos. Inacreditável.

5 comentários:

David disse...

Fizes-te bem. No inicio saia-mos,(a mãe mais), de lá a chorar a caminho do trabalho, tal era o espetaculo que o miudo fazia.A pouco e pouco as coisas vão melhorando lentamente e passados 3 anos não nos arrependemos nada, faz muito bem a vida em sociedade com todas as regras, e o desenvolvimento mais rápido,(desenrascanso), nota-se.bj

Carlinha disse...

Olá.... Acabo de deixar o meu piolho a chorar na creche, chorar não, a gritar, tal como descreveste... desde as 06h quie esta a acordado a choramingar porque sabe o seu destino... Vivemos em Bruxelas, mas tivemos 2 semanas em Portugal... o que não ajuda nada e a escolinha é nova... Tb penso que estou a fazer o melhor... mas custa... e acho que eles sabem.. pq as educadoras dizem que passa bem o dia e eu pergunto como???? se fica a chorar e qd chego chora outra vez... enfim... espero que passe !!! Força a ti tb.

Rita C disse...

Pois é querida... eu passei o ano passado inteiro como tu e a coisa nao melhorou nada... tb eu era apanhada varias vezes a circundar a creche e chegava a fazer coisas como esconder-me e encolher-me no carro tipo filme de cada vez que ia a passar uma auxiliar LOL... coisas tao parvas que fazemos... e via-os a chorar no recreio e sem poder fazer nada pois a vontade era leva-los dali mas se fizesse isso era bem pior... ui que dor... cada vez que penso nisso... Agora com os 4 anos a coisa ja foi diferente apesar de ser uma escola diferente, uma educadora diferente, tudo diferente. Dizem que a pior fase de entrada é entre os 2 e os 3 anos... eu tenho de admitir que é verdade e nao ha volta a dar... e digo-te... a historia de ah e tal eles dps ficam bem e qd viramos costas estao todos alegres... é mentira... cmg nao se passou nada assim... deixava-os a chorar, ia busca-los a chorar e se aparecesse a meio ou estavam a chorar com olhos de quem tinha estado a chorar nem há 5 min... e o adormecer sozinho na cama... bem... tb nem te vou dizer como é.... mas uma coisa é certa... se come bem lá já tens muita sorte! Pode ser que ctg seja melhor... desculpa o testamento mas essa fase ainda me afecta muito.

Bjs

Rita

vidasdanossavida disse...

Vai correr tudo bem e habitua-te que eles portam-se sempre melhor na escola que em casa. O meu que tem 20 meses em casa come mal ou recusa-se mesmo a comer e na escola come tudo, sozinho, e muito bem.

Sara* disse...

Como te disse, a minha felizmente fica sempre muito bem,mas entrou mais pequenina.
Ias gostar duma coisa do colegio da Marian, tem cameras, eu posso estar no trabalho e a ver a minha pukanina lol ou podia se eles não tivessem o programa barrado, mas estou a ver se contorno essa questão.
São so algumas horas por dia, mas e giro.
Um dia sem estares a espera ele vai ficar logo a sorrir e nem olha para ti para te dar um beijinho so vai querer brincar com os amiguinho, da tempo e nao vas tu tambem anciosa