Visitas

domingo, maio 21, 2006

D’este escrever aqui neste blog descripto ( ou O regresso d’A Cidade Egoísta )

Estimada Laura,
Espero que me perdoe o ter optado por este antiquado suporte de comunicação. Bem sei que me deu o número do telemóvel e a morada electrónica, mas eu prefiro a escrita em papel e o passeio até ao marco do correio. Para dizer a verdade, não me entendo com o computador, as letras não estão no mesmo sítio da máquina de escrever e os dedos tremem-me nas peças do rato.
Que prazer foi conhecê-la, querida Laura! Espero que me perdoe o tom familiar, dá-mo o posto da idade, pois podia ser seu quase avô. Coisas de velho a quem poucas coisas acontecem, guardo uma grata lembrança do dia em que a conheci no restaurante do terraço ao cimo do hotel. Vou lá muitas vezes olhar o rio, e as ruas, as casas. Levo um livro de poemas soltos e entretenho-me com o irregular das linhas na página, as casas mais perto cheias de chaminés e antenas. «Cidade feliz / De teus ócios merecidos». E nesse dia, mais perto da minha mesa, estava noutra mesa uma jovem de cabelo curto e camisola com letras laranja, que me espreitava curiosa o livro, parecia pedir um poema. Acabei por lhe mostrar uns versos, ao mesmo tempo que pensava, que idade terá?, eu que já fui bem mais jovem. Que terá este rio a dizer-lhe, e as ruas, as casas? Falámos de talvez iniciar uma amizade e de como leva muito tempo tornarmo-nos jovens...
Sabe Laura, tornei ontem a almoçar no terraço ao cimo do hotel. O Sr. Simões, o empregado que nos serviu, lembra-se?, trouxe-me o Martini como habitualmente, e quis devolver-me o livro que lá tinha deixado esquecido. Disse-me que o tinha lido todo e que os versos eram bonitos mas alguns tristes, «à procura de outros mundos / neste pequeno mundo e nos seus nadas». Disse-lhe que o guardasse por mais algum tempo até que a Laura o fosse buscar. Ofereço-lhe o livro, minha querida, passe no restaurante e peça-o ao Simões, que me disse recordar-se bem da jovem de cabelo curto. E se se dispuser, devolva-me umas linhas, contando-me como passa. Receba os meus mais respeitosos cumprimentos,
Alfredo

1 comentário: